terça-feira, 20 de junho de 2017

Christian Pulisic, O Novo Capitão América


Desde aposentadoria prematura de Landon Donovan graças ao controverso treinador Jurgen Klinsmann a seleção americana passou por muitas dificuldades com resultados inconsistentes, fracas exibições na Gold Cup de 2015 e nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018. Apesar dos Estados Unidos terem bons jogadores a sua disposição nenhum conseguiu ter o mesmo protagonismo que Landon Donovan que foi o jogador mais criativo, decisivo e o líder da seleção americana por mais de uma década.

Nesse período surgiu uma réstia de esperança para o U.S. Team, Christian Pulisic um jovem jogador do Borussia Dortmund que disputa a Bundesliga. Muitos jogadores americanos se destacaram na principal liga da Alemanha e não foi diferente com Christian Pulisic que teve sucesso imediato se tornando o estrangeiro mais jovem a marcar dois gols na primeira divisão alemã e sendo um dos principais jogadores do Borussia Dortmund.

A questão que surgiu era quando lançar o jovem promissor na seleção, se ele era muito novo para jogar na seleção principal e qual seria a melhor maneira de preservá-lo para não repetir erros do passado. Todas essas dúvidas foram respondias nas primeiras exibições de Christian Pulisic que quebrou recordes se tornando o jogador mais jovem a marcar um gol pelo Estados Unidos na Era moderna.

O jovem fenômeno mostrou todo seu potencial a cada jogo pela seleção americana impressionando torcedores e jornalistas por sua técnica e versatilidade. Consequentemente as comparações com Landon Donovan foram feitas. Donovan assim como Pulisic surgiu muito jovem no futebol internacional se destacando na Copa do Mundo Sub-17 de 1999 e em 2000 na seleção principal estreou marcando um gol contra o México num amistoso provando que ele era um jogador diferenciado.

Ainda é cedo para dizer qual é até onde que Christian Pulisic pode chegar mas ele é tudo o que a seleção americana precisa, ele é o único jogador que tem o mesmo status ou se preferir da mesma pratilheira que Landon Donovan, ambos tem um estilo de jogo parecido com muita velocidade, técnica, versatilidade e objetividade ou seja, Christian Pulisic tem tudo para ser o novo Capitão América da seleção yankee.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Estados Unidos 1x1 México (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Com gol magistral de Michael Braldey Estados Unidos empata com México no temido Estádio Azteca. O jogo começou disputado, México teve a maior posse de bola durante todo o jogo mas mesmo com o domínio a partida era muito equilibrada. A seleção yankee abriu o placar num erro de saída de bola dos mexicanos aos 6 minutos do primeiro tempo, Michael Bradley com muita categoria encobrindo o goleiro Ochoa, México empatou aos 23 minutos com Carlos Vela.

México continua liderando o Hexagonal Final da CONCACAF com 14 pontos em seis jogos com quatro vitórias e dois empates. Os Estados Unidos estão em terceiro lugar com duas vitórias, três empates e duas derrotas com 8 pontos mas com um jogo amais que Costa Rica que está em segundo lugar com 8 pontos e Panamá que está em terceiro com 6 pontos. Próximo adversário dos Estados Unidos no Hexagonal Final é a Costa Rica, jogo em casa no dia 1 de setembro.

Análise

Estados Unidos fez um jogo excelente com destaque na ótima performance da defesa que marcou e se posicionou muito bem impedindo os ataques da seleção mexicana. A seleção americana também foi muito organizada e chegou com perigo ao ataque mesmo com a boa marcação dos mexicanos. Bruce Arena faz um trabalho muito bom no seu retorno ao U.S. Team, ele consertou todas falhas do ex treinador Jurgen Klinsmann.


Notas 

Brad Guzan : Não teve culpa no gol (6,5).

Omar González : Fez um jogo muito seguro (8,0).

Geoff Cameron : Foi muito bem na marcação (10,0).

Tim Ream : Fez um bom jogo na defesa (8,0).

DeAndre Yedlin: Apoio bem e defendeu pelo seu lado (7,5)

DaMarcus Beasley : Foi esforçado (7,0)

Michael Bradley : Organizou bem o meio-campo e fez um golaço (10,0)

Kellyn Acosta : Foi bem na marcação pelo meio (7,0).

Christian Pulisic : Mesmo muito marcado conseguiu mostra sua habilidade (7,0)

Bobby Wood : Teve dificuldades no ataque (6,5).

Paul Arriola : Fez um bom jogo, ajudou na marcação (7,0).

Darlington Nagbe : Apareceu pouco (6,5)

Jozy Altidore : Entrou no fim, pouco fez (6,0).

Graham Zusi : Entrou no fim, sem nota.

Bruce Arena : Fez uma boa formação, sua equipe fez um bom jogo (8,0).

México : Foi vencido pela boa marcação americana.

Arbitragem : Acompanhou todos os lances de perto, foi bem.

Curiosidades :

Michael Bradley é o sétimo americano a marcar um gol contra o México no Estádio Azteca, outros foram : Willy Roy, Rick Davis, Eddie Lewis, Charlie Davies e Michael Orozco Fiscal.

Michael Bradley marcou o seu quinto gol contra o México se tornando o segundo jogador americano com mais gols no confronto : 1.Landon Donovan 6 gols, Michael Braldey 5 gols e Aldo Donelli 4 gols.

Estados Unidos está invicto no Estádio Azteca a três jogos.

Willy Roy foi o primeiro jogador a marcar um gol no México no Estádio Azteca em jogos válidos pela eliminatórias.

Aldo Donelli marcou quatro gols pelo Estados Unidos contra o México em 1934, ele é o jogador americano que fez mais gols pela seleção americana em um jogo contra a seleção mexicana.

Link relacionado :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/06/estados-unidos-vs-mexico-eliminatorias.html

sábado, 10 de junho de 2017

Estados Unidos vs México (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos enfrenta o México no dia 11 de julho no Estadio Azteca, Mexico City pela sexta rodada do Hexagonal Final da CONCACAF pela eliminatórias para Copa do Mundo da Rússia de 2018. A seleção yankee e a seleção mexicana protagonizam uma das maiores rivalidades do futebol internacional, as duas equipes já se enfrentaram 69 vezes, os americanos tem um recorde de 19 vitórias, 13 empates e 37 derrotas. Desde 2000 o retrospecto melhorou para U.S. Team que tem um recorde de 13 vitórias, 5 empates e 7 derrotas. O emblemático Estadio Azteca é um dos cenários mais complicados para a os Estados Unidos que tem um recorde de 1 vitória, 8 derrotas e 2 empates no lendário estádio, México tem uma impressionante performance com 42 vitórias, 2 derrotas e 7 empates. Altitude, calor e atmosférica são os fatores que tornam a Azteca um dos mais estádios mais difíceis de se jogar no mundo.

México lidera o Hexagonal Final da CONCACAF com treze pontos com quatro vitórias e um empate enquanto os Estados Unidos ocupam a terceira posição com duas vitórias, um empate e duas derrotas. A seleção americana precisa conquistar pelo menos um empate contra o México para ficar numa posição segura no Hexagonal Final.

Análise da Convocação

Christian Pulisic a cada jogo mostra todo o seu potencial, ele lembra muito Landon Donovan que era o jogador mais criativo e objetivo dos Estados Unidos, a jovem promessa do Borussia Dortmund tem esse status que é tudo o que a seleção americana precisa. Os Estados Unidos tem um meio campo sólido que pode ser formado com Michael Bradley, Christian Pulisic, Fabian Johnson e Darlington Nagbe . A defesa é muito segura com Tim Howard no gol, Jorge Villafaña e DeAndre Yedlin na lateral e a dupla de zaga com Geoff Cameron e John Brooks. No ataque o time precisa de velocidade, Bobby Wood pode jogar como segundo atacante e Jozy Altidore como atacante.

Convocados

Goleiros (4): Brad Guzan (Atlanta United FC), Ethan Horvath (Club Brugge), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defesas (11): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), John Brooks (Hertha Berlin), Geoff Cameron (Stoke City),Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), DeAndre Yedlin (Newcastle United), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund)

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Bobby Wood (Hamburg/GER)


Curiosidades

Estados Unidos venceu México jogando no Estádio Azteca uma vez numa partida amistosa em 2012, Michael Orozco Fiscal foi o autor do gol.

Landon Donovan é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com seis gols.

Aldo Donelli marcou quatro gols pelo Estados Unidos contra o México em 1934, ele é o jogador americano que fez mais gols pela seleção americana em um jogo contra a seleção mexicana.

Willy Roy foi o primeiro jogador a marcar um gol no México no Estádio Azteca em jogos válidos pela eliminatórias.

Cinco jogadores marcaram um gol no México no Estádio Azteca, são eles : Willy Roy, Rick Davis, Eddie Lewis, Charlie Davies e Michael Orozco Fiscal.

Os Estados Unidos conquistou o seu primeiro ponto em eliminatórias para Copa do Mundo em 1997 quando empatou com México por 0a0.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Estados Unidos 2x0 Trinidade e Tobago (Eliminatória para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos conquistou uma vitória importante derrotando Trinidade e Tobago por 2a0 no estádio Dick's Sporting Goods Park pela quinta rodada do Hexagonal Final da CONCACAF. A seleção americana começou bem o jogo pressionado a seleção caribenha no primeiro tempo mas foi incapaz de fazer um gol graças a boa atuação da defesa de Trinidade e Tobago. No segundo tempo os americanos foram mais objetivos conseguindo marcar o primeiro gol da partida aos 52 minutos com Christian Pulisic em boa jogada com Darlington Nagbe e DeAndre Yedlin. Dez minutos depois Christian Plusic fez o seu segundo gol concretizando a vitória dos Estados Unidos sobre Trinidade e Tobago.

Análise da partida

A seleção americana fez um jogo seguro, se defendeu bem e dominou o jogo por completo mas poderia ter sido mais objetiva. Os yankees só conseguiram essa vitória graças ao destaque individual de Christian Pulisic que marcou dois gols e foi o jogador mais criativo do time, ele lembra muito o ex jogador da seleção americana Landon Donovan que por muitas vezes além ser de ser o jogador criativo era o mais objetivo também.

Classificação 

Estados Unidos está com sete pontos em cinco jogos com duas vitórias, um empate e duas derrotas. O próximo jogo da seleção yankee é contra o México que lidera o Hexagonal Final da CONCACAF no dia 11 de junho de 2018.


Notas 

Tim Howard : Não foi exigido (7,0).

DeAndre Yedlin : Fez um bom jogo com uma assistência (7,0).

Geoff Cameron : Esteve atento na marcação (7,0).

John Brooks ; Fez um bom jogo na defesa (7,5).

Jorge Flores Villafaña : Foi bem pelo lado esquerdo (6,5)

Darlington Nagbe : Criou boas jogadas pelo seu lado (8,0).

Michael Bradley : Fez bons desarmes, administrou bem o meio-campo (7,5).

Christian Pulisic : Fez um jogo excelente criando jogadas e marcando dois gols (10,0)

Fabian Johnson : Ajudou o time na criação de jogadas (6,5).

Clint Dempsey : Teve uma atuação apagada (5,5).

Jozy Altidore : Lutou bastante (6,5)

Kelly Acosta : Entrou bem, foi boa opção nas bolas paradas (6,5).

Alejandro Bedoya : Entrou para manter a posse de bola e ajudar na marcação, ganhou um cartão amarelo (6,0).

Bobby Wood : Entrou no fim mas quase deixou o seu (6,5).

Bruce Arena : Armou bem o time, ganhou por causa do destaque individual de Pulisic (7,0).

Trinidade e Tobago : Foi anulada pela seleção americana.

Arbitragem : Teve um jogo fácil sem polêmicas.

Curiosidades 

Estados Unidos não leva um gol de Trinidade e Tobago desde 2008.

A seleção americana mantém a sua invencibilidade contra Trinidade e Tobago jogando nos Estados Unidos.

Links relacionados :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/06/estados-unidos-x-trinidade-e-tobago.html

terça-feira, 6 de junho de 2017

Estados Unidos x Trinidade e Tobago (Eliminatória para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos enfrenta Trinidade e Tobago pela quinta rodada do Hexagonal final da CONCACAF pela eliminatórias para Copa do Mundo da Rússia de 2018 nesta quinta dia 8 de junho no estádio Dick's Sporting Goods Park, Commerce City. As duas equipes já se enfrentaram por vinte e quatro vezes, a seleção yankee tem um recorde de dezessete vitórias, quatro empates e três derrotas.

A seleção americana ocupa a quarta colocação no Hexagonal com uma vitória, um empate e duas derrotas. Trinidade e Tobago está em último lugar com três pontos com uma vitória e três derrotas. Os Estados Unidos precisam vencer para garantir uma melhor posição no Hezagonal para a classificação para Copa do Mundo.

A lista de convocados tem bons nomes com exceção de Nick Rimando ou Graham Zusi que poderia ser substituídos por Bill Hamid ou Daniel Williams outra ausência é Christian Ramirez que fez oito gols nesta temporada da Major League Soccer. Christian Pulisic tem provado o eu valor a cada jogo e tem potencial para ser o principal armador do time por suas habilidades.

Convocados

Goleiros (4): Brad Guzan (Atlanta United FC), Ethan Horvath (Club Brugge), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defesas (11): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), John Brooks (Hertha Berlin), Geoff Cameron (Stoke City),Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), DeAndre Yedlin (Newcastle United), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund)

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Bobby Wood (Hamburg/GER)


Curiosidades

No dia 19 de Novembro de 1989, cerca de 35 mil torcedores estavam no estádio em Port-of-Spain para apoiar a seleção de Trinidade e Tobago, aos 31 minutos aconteceria um dos gols mais mitológicos da historia do futebol dos Estados Unidos quando Tab Ramos tocou para Paul Caligiuri que driblou o zagueiro e surpreendeu o goleiro de Trinidade e Tobago com um chute de 25 metros com o pé esquerdo, o gol ficou conhecido como ´´ Shot Heard Round the World ´´ e classificou os americanos para Copa do Mundo depois de uma espera de 40 anos.

Jozy Altidore é o artilheiro da seleção americana no confronto com cinco gols.

A seleção americana nunca perdeu para Trinidade e Tobago jogando nos Estados Unidos.

domingo, 4 de junho de 2017

Estados Unidos 1x1 Venezuela (amistoso)



A partida começou movimentada com ambas as equipes trocando passes e buscando jogo. Venezuela abriu o placar com José Manuel Velázquez depois de um erro da defesa americana. Com o gol a seleção venezuelana cresceu no jogo criando mais chances de gol mas Tim Howard fez boas defesas impedindo o segundo gol dos venezuelanos. No segundo tempo os americanos empataram aos 61 minutos com Christian Pulisic. Com algumas substituições a seleção americana mudou de postura e atacou mais, principalmente com Jordan Morris. O jogo terminou empatado pela placar de 1a1, o próximo adversário da seleção americana é Trinidade e Tobago pela quinta rodada do Hexagonal da CONCACAF nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018.

Análise 

Bruce Arena montou bem o seu time com a formação 4-4-2, porém a seleção americana foi surpreendida pela velocidade e intensidade dos venezuelanos que poderiam ter vencido o jogo se não fosse Tim Howard. No segundo tempo aos americanos melhoram criando mais chances de gol aproveitando a velocidade dos pontas e trocando passes.


Notas : 

Tim Howard : Fez grandes defesas (8,5).

DeAndre Yedlin : Correu muito pelo lado direito mas poderia ter sido mais objetivo (6,5).

John Brooks : Falhou no lance do gol (5,0).

Geoff Cameron : Falhou na marcação no lance do gol (5,0)

Jorge Flores Villafaña : Foi bem pelo lado esquerdo (6,0)

Michael Bradley : Errou alguns passes mas fez bem sua função (6,0).

Fabian Johnson : Parecia um pouco perdido mas melhorou durante a partida dando o passe do gol (6,5).

Darlington Nagbe : Correu muito, ajudou na criação de jogadas (7,0).

Christian Pulisic : Foi o melhor do time, ajudou na criação de jogadas e fez um bonito gol (8,0).

Clint Dempsey : Lutou bastante (6,5).

Bobby Wood : Fez boa movimentação no ataque (6,5)

Omar González : Foi um pouco lento na marcação (6,0).

Matt Hedges : Entrou bem, foi atento nos lances (7,0).

Kellyn Acosta : Poderia ter sido melhor na criação (6,5)

Tim Ream : Foi bem na marcação (7,0)

Jordan Morris : Entrou disposto particpando dos ataques (6,5)

Bruce Arena : Gostei de sua formação, a seleção americana fez um bom jogo contra uma equipe desvalorizada injustamente por muitos (7,0)

Venezuela : Fez um bom jogo com um futebol bem intensivo.

Arbitragem : Não teve problema num jogo fácil.

Curiosidades :

Venezuela não marcava um gol nos Estados Unidos desde 1993.

Estados Unidos mantém sua invencibilidade contra os venezuelanos com um recorde de três vitórias e dois empates.

A seleção americana nunca perdeu jogando em Utah com um recorde de cinco vitórias em cinco jogos.

links relacionados :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/05/estados-unidos-vs-venezuela-amistoso.html


sexta-feira, 2 de junho de 2017

Major League Soccer All-Star Game 2017




No dia 2 de agosto de 2017 será realizada a décima segunda edição do All Star Game da Major League Soccer, o time das estrelas da MLS vai enfrentar o Real Madrid no Soldier Field, Chicago, Illinois que sediara o evento pela primeira vez na história.

A equipe será formada por vinte dois jogadores, onze escolhidos pelo público numa votação pelo aplicativo da Major League Soccer, dois pelo comissário Don Garber e o restante pelo treinador Veljko Paunovic que treina o Chicago Fire.

Em outras edições a equipe das estrelas Major League Soccer já enfrentou times estrangeiras como Arsenal, Chelsea, Everton, Fulham, Manchester United, Tottenham Hotspur, West Ham United, Bayern Munich, Roma, Chivas Guadalajara e Celtic. O jogo contra o Real Madrid marca o primeiro confronto do time das estrelas contra uma equipe da La Liga.

Curiosamente não vai ser o primeiro encontro da Major League Soccer com o Real Madrid, em 2005 um selecionado da Major League Soccer enfrentou a equipe espanhola pelo Trofeo Santiago Bernabéu. Os Merengues ganharam por 5a0 com gols de Beckham, Ronaldo duas vezes, Guti e Raúl. Apesar da derrota elástica MLS tinha um bom time mas teve pouco tempo para se acostumar com o fuso horário e para fazer treinamentos.


MLS All Stars jogadores 2017