quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Estados Unidos 1x1 Honduras (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)


Os Estados Unidos conquistou um ponto dramático com um gol tardio após empatar com Honduras por 1-1 jogando no país centro americano. Romell Quioto abriu o placar para Los Catrachos aos 27 minutos do segundo tempo graças ao erro de Omar González. O gol de empate foi marcado por Bobby Wood aos 85 minutos do segundo tempo.

U.S. Team está em quarto lugar com nove pontos e enfrenta Panamá que está em terceiro lugar com dez pontos no dia seis de outubro. O último adversário dos Estados Unidos no Hexagonal final e Trinidad e Tobago que está em último lugar no dia dez de outubro.

A seleção americana fez uma performance pobre contra Honduras sendo um time desorganizado com problemas coletivos. Os Estados Unidos são um time perdido em campo que mostra ter muita pouca objetividade.

Os jogos de setembro válidos pelas eliminatória da CONCACAF foram um choque para a seleção yankee que apresentou diversos problemas com fracas exibições nos dois jogos pondo em risco a classificação do U.S. Team para Copa do Mundo de 2018 na Rússia.


Notas:

Brad Guzan: Não teve culpa no gol, fez duas boas defesas (7,0).

Graham Zusi: Não tem qualidade suficiente para jogar na lateral direita da seleção americana (5,5).

Omar González: Errou no lance do gol (5,0).

Matt Beser: Fez uma boa partida (7,0).

DeMarcus Beasley: Deixou espaços no lado esquerdo (5,5).

Christina Pulisc: Foi o jogador mais criativo do time (7,0).

Michael Bradley: Não fez uma boa partida (6,0).

Kellyn Acosta: Foi valente na marcação no meio-campo (7,0).

Darlington Nagbe: Foi vencido pela marcação (5,5).

Clint Dempsey: Foi omisso, pouco apareceu (5,5).

Bobby Wood: Entrou bem, salvou a sua equipe (7,5).

Bruce Arena: Não conseguiu corrigir os erros do último jogo, sua foi um time desorganizado.

Honduras: Foi um time organizado que soube explorar os contra-ataques.

Arbitragem: Acompanhou os lances de perto, foi bem.

Curiosidades:

Clint Dempsey se tornou o jogador americano com mais jogos (41) pelas eliminatórias para Copa do Mundo.

O primeiro jogo entre as duas equipes foi realizado em 1965, os americanos venceram por 1a0 com gol de Eddie Murphy.

Os Estados Unidos golearam Honduras por 6-0 no dia 24 de março, foi a maior goleada no confronto e a maior vitórias dos americanos no Hexagonal Final da CONCACAF.

Honduras venceu os Estados Unidos pela primeira vez em 2001 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2002.

Quatro jogadores da lista dos vinte e oito convocados de Honduras jogam na Major League Soccer.

Estados Unidos e Honduras se enfrentaram na primeira final da Gold Cup em 1991, os americanos venceram nos pênaltis por 4-3.

Clint Dempsey é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com sete gols.

Bruce Arena fez o seu centésimo jogo como treinador da seleção americana contra Honduras em 2005, os americanos venceram o jogo com gol de Eddie Johnson.

Claudio Reyna fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2004.

Michael Bradley fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2015.

Nas eliminatórias para Copa do Mundo de 1990 os Estados Unidos derrotaram El Salvador por 1-0 em Honduras, Hugo Perez que nasceu em El Salvador mas é naturalizado americano marcou o gol da vitória.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Estados Unidos x Honduras (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Nesta terça feira dia cinco de setembro os Estados Unidos enfrenta Honduras pela oitava rodada do Hexagonal Final da CONCACAF pela eliminatórias para Copa do Mundo de 2018 no estádio Olímpico Metropolitano em San Pedro Sula, Honduras.

Estados Unidos tem um bom retrospecto sobre Honduras com um recorde de dezesseis vitórias, quatro empates e quatro derrotas. Nas eliminatórias os americanos tem um recorde de seis vitórias, duas derrotas e um empate. Em Honduras o U.S. Team tem um recorde de três vitórias, uma derrota e um empate.

A seleção yankee tem o mesmo número de pontos do que Honduras mas está na frente pelo saldo de gol, os americanos precisam de uma vitória para não se complicar na classificação do Hexagonal Final da CONCACAF e não precisar de uma futura combinações de resultados na classificação para Copa do Mundo de 2018 na Rússia.

O treinador da seleção americana Bruce Arena convocou bons nomes para os jogos de setembro no entanto sua equipe fez uma péssima performance contra Costa Rica com falhas na defesa e sucessivos erros coletivos. A lista dos convocados tem potencial para ser um bom time com equilíbrio na defesa no meio-campo e no ataque.

Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake).

Defesas (9): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), Geoff Cameron (Stoke City), Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-Campistas (9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (D.C. United), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC/CAN), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC).

Atacantes (5): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes), Bobby Wood (Hamburg).

Curiosidades: 

O primeiro jogo entre as duas equipes foi realizado em 1965, os americanos venceram por 1a0 com gol de Eddie Murphy.

Os Estados Unidos golearam Honduras por 6-0 no dia 24 de março, foi a maior goleada no confronto e a maior vitórias dos americanos no Hexagonal Final da CONCACAF.

Honduras venceu os Estados Unidos pela primeira vez em 2001 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2002.

Quatro jogadores da lista dos vinte e oito convocados de Honduras jogam na Major League Soccer.

Estados Unidos e Honduras se enfrentaram na primeira final da Gold Cup em 1991, os americanos venceram nos pênaltis por 4-3.

Clint Dempsey é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com sete gols.

Bruce Arena fez o seu centésimo jogo como treinador da seleção americana contra Honduras em 2005, os americanos venceram o jogo com gol de Eddie Johnson.

Claudio Reyna fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2004.

Michael Bradley fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2015.

Nas eliminatórias para Copa do Mundo de 1990 os Estados Unidos derrotaram El Salvador por 1-0 em Honduras, Hugo Perez que nasceu em El Salvador mas é naturalizado americano marcou o gol da vitória.

Ranque de ligas

1.Major League Soccer: 18
2.Bundesliga: 3
3.Liga MX e EFL Championship: 2
4.Premier League: 1

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Estados Unidos 0x2 Costa Rica (eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)


Estados Unidos sofreu um grande revés pela sétima rodada do Hexagonal Final da CONCACAF para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 na Red Bull Arena em Harrison, New Jersey ao ser derrotado pela Costa Rica por 2-0. Com a derrota os americanos se complicam na Hexagonal da CONCACAF se distanciando das primeiras posições e vendo Honduras que é adversário direto na disputa pela classificação para Copa do Mundo da Rússia com o mesmo número de pontos.

Com o resultado desta partida os americanos tem um recorde quinze vitórias, dezesseis derrotas e cinco empates contra Costa Rica protagonizando um dos confrontos mais equilibrado do futebol internacional. Los Ticos terminaram com a invencibilidade de quatorze jogos dos Estados Unidos e impediram que os americanos terminassem um ano invicto pela primeira vez na história na Era moderna.

A seleção americana fez uma péssima performance contra Costa Rica sendo um time desorganizado e com problemas defensivos. Mesmo com a maior posse de bola os Estados Unidos não foram criativos e criaram poucas chances concretas de gol, as poucas criadas foram desperdiçadas pelo nervosismo de alguns jogadores, foi a pior atuação do time americano sob o comando do treinador Bruce Arena.

Notas:

Tim Howard: Pagou o preço pela péssima atuação do time, não fez uma boa partida (5,5).

Graham Zusi: Foi muito limitado (5,0).

Tim Ream: Omissão deixou espaços (4,5).

Geoff Cameron: Falhou na marcação (5,0).

Jorge Villafaña: Foi pouco produtivo (5,5).

Christian Pulisic: Foi o jogador mais criativo dos Estados Unidos mas se intimidou com as faltas dos adversários (7,0).

Darlington Nagbe: Teve boa iniciativa no jogo mas falhou como o resto do time (6,0).

Michael Bradley: Fez um bom primeiro tempo mas caiu de rendimento (6,5).

Fabian Johnson: Atuação apagada (5,0).

Bobby Wood: Pouco fez (5,0).

Jozy Altidore: Participou do jogo mas não foi bem (6,0).

Clint Dempsey: Esboçou algo mas não passou disto (5,5).

Jordan Morris: Entrou no fim (sem nota).

Paul Arriola: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Não armou bem a sua equipe que teve problemas na defesa e no coletivo (5,5).

Costa Rica: Se defendeu bem, destaque para Marco Ureña que foi muito oportunista.

Arbitragem: Confundiu algumas faltas mas não interferiu no resultado do jogo.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Estados Unidos x Costa Rica (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)




Nesta sexta feira dia primeiro de setembro os Estados Unidos enfrentam a Costa Rica na Red Bull Arena em Harrison, New Jersey pela sétima rodada do Hexagonal Final da CONCACAF para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 na Rússia. O confronto entre as duas equipes é um dos mais equilibrados do futebol internacional, os americanos tem um recorde de quinze vitórias, cinco empates e quinze derrotas. Os yankees só perderam uma única vez jogando nos Estados Unidos e o último jogo entre as duas seleções foi na Gold Cup de 2017 do qual o U.S. Team derrotou Los Ticos por 2-0.

Estados Unidos está em terceiro lugar no Hexagonal Final da CONCACAF com duas vitórias, dois empates, com onze gols marcados e oito sofridos. Para se aproximar da liderança e garantir uma vaga para Copa do Mundo de 2018 os americanos precisam conquistar ao menos quatro pontos nos dois jogos de setembro, dia primeiro contra a Costa Rica nos Estados Unidos e dia cinco contra Honduras como visitante.

Não houve surpresas nos vinte seis jogadores convocados por Bruce Arena para disputar os jogos das eliminatórias em setembro. O treinador da seleção americana convocou os principais jogadores dos Estados Unidos formando uma equipe forte, porém jogadores como Bill Hamid e Timothy Chandler poderiam estar no lugar de Nick Rimando e Graham Zusi. Ouro jogador que poderia estar na lista é Danny Williams que infelizmente é constantemente esnobado pela seleção americana.

Convocados



Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake).

Defesas (9): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), Geoff Cameron (Stoke City), Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-Campistas (9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (D.C. United), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC/CAN), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC).

Atacantes (5): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes), Bobby Wood (Hamburg).

Curiosidades

As duas seleções se enfrentaram pela primeira vez em 1975, Costa Rica venceu por 3-1.

A maior vitória dos Estados Unidos sobre Costa Rica foi um 4-0 na Copa América Centenário em 2016.

A maior vitória da Costa Rica sobre os Estados Unidos foi um 4-0 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu o cargo de treinador da seleção americana.

Estados Unidos está invicto em 2017 com um recorde de nove vitórias e cinco empates.

Ranque de ligas

1.Major League Soccer: 18
2.Bundesliga: 3
3.Liga MX e EFL Championship: 2
4.Premier League: 1

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Gold Cup 2017



A CONCACAF Gold Cup de 2017 foi a décima quarta edição da Gold Cup que teve como país sede os Estados Unidos. Um total de doze equipes se classificaram para disputar o torneio: Estados Unidos, México. Canadá, Honduras, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Curaçao, Jamaica, Guiana Francesa, Martinica e Nicarágua.

Na primeira fase os Estados Unidos se classificaram em primeiro lugar de seu grupo pela terceira vez consecutiva. Os americanos empataram com Panamá por 1-1 na sua estreia, no segundo jogo o U.S. Team derrotou Martinica por 3-2. No último jogo do grupo os yankees derrotaram a seleção da Nicarágua por 3-0. Bruce Arena fez diversas mudanças durante a primeira fase utilizando todos os vinte jogadores convocados com exceção do terceiro goleiro Sean Johnson.

Na fase de eliminatórias o treinador Bruce Arena fez seis alterações na lista dos convocados, por regulamentação do torneio, as equipes têm a oportunidade de fazer até seis mudanças na lista nas após 24 horas da conclusão da fase de grupos. Os Estados Unidos derrotaram El Salvador por 2-0 nas quartas de final. Na semi-final os americanos conquistaram uma boa vitória por 2-0 sobre a Costa Rica que foi o adversário mas forte do U.S. Team na competição.

A fina da Gold Cup 2017 protagonizou uma decisão inédita na competição entre Estados Unidos e Jamaica. Foi a segunda final consecutiva da seleção caribenha que na edição anterior foi derrotada pelo México por 3-1. A seleção yankee derrotou os jamaicanos por 2-1 e conquistou o seu sexto título da Gold Cup.

Análise

Bruce Arena foi ambicioso e montou uma equipe jovem com jogadores com pouco experiência internacional, mesmo com alterações para fase de eliminatórias com a adição de jogadores veteranos os Estados Unidos disputou a Gold Cup com uma equipe mista. O treinador americano acertou na sua decisão e comandou a boa campanha dos Estados Unidos na Gold Cup DE 2017, os americanos terminaram a competição com um recorde de 5-0-1 (V-D-E) com treze gols marcados e apenas três sofridos.

Convocados

Goleiros:

Brad Guzan (32 anos) Atlanta United (MLS)
Bill Hamid    (26 anos) D.C. United (MLS)
Sean Johnson (28 anos) New York City FC (MLS)
Tim Howard (38 anos) Colorado Rapids (MLS)
Jesse González (22 anos) FC Dallas (MLS)

Defesas

Jorge Villafaña (27 anos) Santos Laguna (Liga MX)
Omar Gonzalez (28 anos) Pachuca (Liga MX)
Matt Miazga (21 anos) Chelsea (Premier League)
Matt Besler (30 anos) Sporting Kansas City (MLS)
Eric Lichaj (28 anos) Nottingham Forest (EFL Championship)
Justin Morrow (29 anos) Toronto FC (MLS)
Graham Zusi (30 anos) Sporting Kansas City (MLS)
Matt Hedges (27 anos) FC Dallas (MLS)

Meio-Campistas

Kelyn Rowe (25 anos) New England Revolution (MLS)
Chris Pontius (30 anos) Philadelphia Union (MLS)
Gyasi Zardes (25 anos) LA Galaxy (MLS)
Joe Corona (26 anos) Tijuana (Liga MX)
Alejandro Bedoya  (30 anos) Philadelphia Union (MLS)
Dax McCarty (30 anos) Chicago Fire (MLS)
Cristian Roldan (22 anos) Seattle Sounders FC (MLS)
Paul Arriola (22 anos) Tijuana (Liga MX)
Kellyn Acosta (21 anos) FC Dallas (MLS)
Darlington Nagbe  (26 anos) Portland Timbers (MLS)
Michael Bradley (29 anos) Toronto FC (MLS)

Atacantes

Jordan Morris (22 anos) Seattle Sounders FC (MLS)
Dom Dwyer (26 anos) Sporting Kansas City (MLS)
Juan Agudelo (24 anos) New England Revolution (MLS)
Jozy Altidore (27 anos) Toronto FC (MLS)
Clint Dempsey (34 anos) Seattle Sounders FC (MLS)


Alterações

Brad Guzan substituído por Tim Howard.
Sean Johnson substituído por Jesse González.
Kelyn Rowe substituído por Darlington Nagbe.
Alejandro Bedoya substituído por Michael Bradley.
Dom Dwyer substituído por Jozy Altidore.
Cristian Roldan substituído por  Clint Dempsey.

Treinador: Bruce Arena.

Artilheiros 

1.Jordan Morris: 3
2.Omar Gonzalez e Jozy Altidore: 2
3.Joe Corona, Clint Dempsey, Dom Dwyer, Eric Lichaj, Matt Miazga e Kelyn Rowe: 1


Ranque de Ligas:

1.Major League Soccer: 23
2.Liga MX: 4
3.Premier League e EFL Championship: 1


Curiosidades:

A média de público da Gold Cup de 2017 foi de 32,784.

Quarenta e nove jogadores da Major League Soccer jogaram na Gold Cup de 2017.

Dos cinquenta e cinco gols marcados na competição, dezenove foram marcados por jogadores da Major League Soccer.

Estados Unidos teve o melhor ataque da competição com treze gols.

Bruce Arena é o treinador com mais títulos (3) na Gold Cup: 2002, 2005 e 2007.

Seleção americana conquistou o seu sexto título na Gold Cup: 2002. 2005, 2007, 2013 e 2017.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de quatorze jogos com um recorde de nove vitórias e cinco empates.

Foi o primeiro título da Gold Cup da seleção americana desde que Landon Donovan se aposentou.

Clint Dempsey marcou o seu quinquagésimo sétimo gol pela seleção americana igualando a marca de Landon Donovan.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Estados Unidos 2-1 Jamaica (Gold Cup 2017, Final)

                     

Estados Unidos enfrentou uma Jamaica que deu tudo de si que usou a força física e velocidades de seus jogadores para dificultar o jogo dos americanos, a seleção do caribe também aproveitou bastante o seus status de azarão na competição sabendo que toda pressão estaria sobre a seleção yankee que soube controlar os nervos e dominar a partida conquistando uma vitória por 2-1 com uma boa performance.

O primeiro tempo foi morno, a seleção jamaicana se defendeu muito bem mas no final do primeiro tempo tomou uma ducha de água fria ao sofrer um magistral gold de falta do Jozy Altidore. No segundo tempo a seleção americana continuo dominado a partida mas cedeu o empate aos 50 minutos, Je-Vaughn Watson marcou o gol dos Reggae Boyz. Tudo indicava que o jogo iria para prorrogação mas no final da partida Jordan Morris marcou o gol da vitória americana e do título da seleção yankee que conquistou a Gold Cup pela sexta vez.

Notas:
Tim Howard: Não teve culpa no gol, fez uma boa partida (7,0).

Graham Zusi: Foi bem defensivamente (7,0).

Matt Besler: Marcou bem (7,5).

Omar González: Fez desarmes importantes (7,5).

Jorge Villafaña: Foi bem pelo lado esquerdo (6,5).

Paul Arriola: Casou problemas para defesa adversária (7,0).

Kellyn Acosta: Teve boa iniciativa no meio-campo (7,0).

Michael Bradley: Foi um dos principais jogadores no meio-campo (7,0).

Darlington Nagbe: Sofreu sete faltas! deu velocidade e criatividade ao time (8,0).

Jozy Altidore: Fez um gol de falta sensacional (8,0).

Jordan Morris: Errou no lance do gol mas se redimiu marcando o gol da vitória (7,5).

Clint Dempsey: Mostrou sua técnica mas não contribui muito para o jogo (6,5).

Gyasi Zardes: Entrou errando alguns passes, mas fez parte da jogada do segundo gol (6,5).

Bruce Arena: Sua equipe jogou com calma e não cometeu equívocos (7,0).

Jamaica: Soube se defender bem e se beneficiou da velocidade e força física de seus jogadores.

Arbitragem: Foi bem.

Curiosidades:

Bruce Arena é o treinador com mais títulos (3) na Gold Cup: 2002, 2005 e 2007.

Seleção americana conquistou o seu sexto título na Gold Cup: 2002. 2005, 2007, 2013 e 2017.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de quatorze jogos com um recorde de nove vitórias e cinco empates.

Foi o primeiro título da Gold Cup da seleção americana desde que Landon Donovan se aposentou.

Seleção americana teve o melhor ataque da competição com treze gols marcados

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Estados Unidos vs. Jamaica (Gold Cup 2017, Final)



O momento mais esperado da Gold Cup de 2017 finalmente chegou com uma final inédita entre Estados Unidos e Jamaica. O jogo será realizado no Levi's Stadium em Santa Clara, Califórnia nesta quarta feira dia 26 de julho. A seleção americana tem um bom retrospecto contra os Reggae Boyz com um recorde de quatorze vitórias, nove empates e apenas duas derrotas. Apesar do histórico, as duas seleções só se enfrentaram quatro vezes na Gold Cup com três vitórias para os americanos e uma vitória paras os jamaicanos que aconteceu na semi-final da Gold Cup de 2015.

U.S. Team está invicto na competição com quatro vitórias, um empate, dez gols marcados e três gols sofridos. Jamaica teve mais dificuldades para chega na final com duas vitórias, dois empates, seis gols marcados e dois gols sofridos. Apesar dos números medianos a seleção jamaicana mostrou ser um adversário perigoso eliminado o México na semi-final com uma surpreendente vitória. A seleção americana tem que ter o máximo de concentração possível para não cometer equívocos contra os Reggae Boyz que certamente vão fazer um jogo muito difícil.

Convocados:

Goleiros (3): Jesse Gonzalez (FC Dallas), Bill Hamid (D.C. United), Tim Howard (Colorado Rapids).

Defesas(8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca / MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest / ENG), Matt Miazga (Chelsea / ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna / MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana / MEX), Michael Bradley (Toronto FC), Joe Corona (Club Tijuana / MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (4): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).

Curiosidades:

As duas seleções se enfrentaram pela primeira vez em 1988 num empate sem gols.

A maior vitória do confronto foi num amistoso em 2002, os americanos golearam por 5-0.

Em toda história os americanos só perderam duas vezes para Jamaica, ambas sob o comando do Klinsmann.

Jamaica disputa a sua segunda final consecutiva na Gold Cup.

Frank Klopas é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com quatro gols.

Seleção americana está sem sofrem gols em três jogos consecutivos.

Estados Unidos vai disputar a sua décima final na Gold Cup, venceu cinco.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de treze jogos com um recorde de oito vitória e cinco empates.

Doze jogadores da seleção jamaicana jogam nos Estados Unidos.

Seleção americana tem o melhor ataque da competição com dez gols marcados.