domingo, 29 de janeiro de 2017

Estados Unidos vs Servia (amistoso)





Estados Unidos empata com a Servia por 0a0 em seu primeiro amistoso do ano : O jogo foi movimentado, ambas as equipes buscaram jogo mas foi a equipe americana que teve maior controle na partida criando mais chances de gol. O amistoso foi disputado no Qualcomm Stadium San Diego, California. O próximo amistoso dos Estados Unidos é contra Jamaica no dia três de fevereiro no Finley Stadium em Chattanooga, Tennessee.

Apesar do empate a equipe americana deixou uma boa impressão, mostrou ser um time determinado com boa qualidade no passe e solidez defensiva. Podia ter sido melhor na finalização e na conclusão das jogadas mas Bruce Arena pode ficar satisfeito, a seleção yankee teve uma melhora significativa em relação aos últimos jogando quando Klinsmann estava no comando.


Notas

Rimando (6,5) Fez um jogo seguro.

Zusi (6,5) Fez um bom jogo pela direita.

Marshall (7,0) Fez uma boa partida fazendo desarmes importantes.

Birnbaum (7,0) Foi muito bem na marcação.

Garza (5.0) Cometeu alguns erros tendo uma atuação desastrada

Jones (7,0) Mostrou ter vigor físico mesmo aos 35 anos, foi bem na defesa e ajudou na criação de jogadas.

Bradley (7,0) Fez um jogo sólido.

Bedoya (6,0) Apagado.

Kljestan (7,5) Foi o jogador que mais criou chances, deu qualidade no passe.

Nagbe (6,5) Fez um bom jogo, teve boa presença no ataque.

Altidore (6,5) Ajudou na criação.

Lletget (6,5) Entrou bem e foi bem pelo meio campo.

Pontius (6,0) Quase marcou um gol, foi oportunista.

Villafaña (6,0) Foi melhor que Garza.

Morris (6,0) Entrou determinado.

Feilhaber (6,0) Começou bem, depois foi um pouco afobado.

Agudelo (6,0) Entrou no fim e deu trabalho a defesa adversária.

Arena : Armou bem sua equipe, acertou nas substituições.

Servia : Mostrou ser um time bem técnico.

Arbitragem : Acertou na maioria dos lances mas deixou de marca um pênalti para Servia no primeiro tempo.

Convocados 

Golerios (3): David Bingham (San Jose Earthquakes), Nick Rimando (Real Salt Lake), Luis Robles (New York Red Bulls)

Defesas (8): DaMarcus Beasley (Unattached), Steve Birnbaum (D.C. United), Brad Evans (Seattle Sounders FC), Greg Garza (Atlanta United FC), Chad Marshall (Seattle Sounders FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna, MEX) Walker Zimmerman (FC Dallas), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio campistas (9): Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Benny Feilhaber (Sporting Kansas City), Jermaine Jones (LA Galaxy), Sacha Kljestan (New York Red Bulls), Sebastian Lletget (LA Galaxy), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union)

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC;), Jordan Morris (Seattle Sounders FC)


Curiosidades

Jozy Altidore se tornou o décimo sétimo jogador a jogar cem jogos pela seleção americana, ele é o segundo jogador mais jovem a chegar a essa marca o primeiro é Landon Donovan.

Club 100 : Landon Donovan, Marcelo Balboa, Paul Caligiuri, Cobi Jones, Eric Wynalda, Jeff Agoos, Joe Max Moore, Claudio Reyna, Earnie Stewart, Tony Meola, Kasey Keller, Tim Howard, Carlos Bocanegra, DaMarcus Beasley, Clint Dempsey, Michael Bradley e Jozy Altidore.

Somente duas seleções chegaram a marca de dezessete jogadores que jogaram cem jogos : Estados Unidos e Araíba Saudita.

Este foi o primeiro jogo entre Estados Unidos e Servia, os americanos enfrentaram a antiga Yugoslavia na Copa do Mundo de 1998, os Estados Unidos perderam por 1a0.

Esta é a segunda vez que Bruce Arena assume o comando do U.S. Team, a primeira vez foi de 1998-2006, Arena é o treinador mais vitorioso da história da seleção americana com setenta e uma vitorias.

Bruce Arena levou a seleção americana as quartas de final na Copa do Mundo de 2002, foi a melhor campanha dos yankees desde 1930.

Chris Pontius, Jorge Villafaña e Sebastian Lletget fizeram sua estria pela seleção americana.


Melhores momentos, estatísticas e etc.

http://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-01-29-us-mens-national-team-vs-serbia/recap

domingo, 8 de janeiro de 2017

NASL Respira !!






O que parecia ser um filme de terror para a North American Soccer League finalmente chegou ao fim, após a decisão da U.S. Soccer Federation em manter a liga com status de segunda divisão na pirâmide do soccer americano. Outra decisão da federação americana foi promover a promissora United Soccer League dá terceira para segunda divisão.

NASL

North American Soccer League foi fundada em 2009 como segunda divisão, a liga sempre procurou fazer muitas referências histórias e teve como auge quando o retorno do New York Cosmos. Porém  a North American Soccer League passou ter sérios problemas financeiros, a liga tinha muitos investidores da Traffic Sports que foram alvos de investigações e prisões o que casou instabilidade na liga principalmente no ano de 2016. A crise atingiu as franquias como a do New York Cosmos, um dos principais times da liga. Outras equipes como Fort Lauderdale Strikers, Rayo OKC, Jacksonville Armada FC e Tampa Bay Rowdies também enfrentavam problemas financeiros.

Logo após o fim da temporada de 2016 a NASL estava no limbo e viu o seu fim muito de perto ao perder franquias como Minnesota United que se afilou a Major League Soccer, Ottawa Fury FC e Tampa Bay Rowdies que se afiliaram a United Soccer League e equipes como New York Cosmos, Rayo OKC e Fort Lauderdale Strikers entraram em hiato ou na procura novos compradores.

Com a decisão U.S. Soccer Federation de manter a NASL como segunda divisão a liga pode finalmente respirar e ter melhores expectativas em relação ao seu futuro. Outra boa noticia é da grande possibilidade do New York Cosmos ter um novo dono, Rocco B. Commisso dono da Mediacom Communications Corporation que é a quinta maior empresa de televisão a cabo dos Estados Unidos o que daria grande estabilidade e investimentos ao time e liga.

Oito equipes vão disputar a North American Soccer League em 2017 : FC Edmonton, Indy Eleven, Jacksonville Armada FC, Miami FC, Carolina do Norte FC (Carolina RailHawks), Puerto Rico FC, São Francisco Deltas (temporada de estreia) e New York Cosmos. O numero de times na liga poderá aumentar na Fall Season com a possibilidade do surgimento de novas franquias em Atlanta, San Diego, e Orange County, Califórnia.

USL

Desde que a United Soccer League se aproximou a Major League Soccer, a liga cresceu muito ganhando muito benéficos. Com a promoção para segunda divisão a USL foi recompensada pelo seu trabalho e terá muitos lucros com novos patrocinadores e direitos televisivos. USL é liga de soccer com mais franquias nos Estados Unidos, trinta equipes vão disputar a temporada de 2017.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

January Camp 2017




O treinador da seleção americana convocou trinta e dois jogadores para participar do January Camp de 2017, todos os jogadores disputam na Major League Soccer. Entre os convocados nove jogadores disputaram Copas do Mundo e oito jogaram no All Star Game da Major League Soccer de 2016.

January Camp servira de preparação para dois amistoso do U.S. Team em 2017, contra a Sérvia no dia 29 de janeiro no Qualcomm Stadium, em San Diego, Califórnia e contra a Jamaica no dia três de fevereiro em Chattanooga, Tennessee,

Ambas as partidas servem para testes, ritmo e entrosamento da seleção americana para os jogos do hexagonal final da CONCACAF para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, os americanos vão enfrentar Honduras no seu terceiro jogo pelo quinto round das eliminatórias no dia vinte quatro de março. Estados Unidos estão em sexto lugar na última posição com duas derrotas em dois jogos.


Goleiros (5): David Bingham (San Jose Earthquakes), Stefan Frei (Seattle Sounders FC), Bill Hamid (D.C. United), Nick Rimando (Real Salt Lake), Luis Robles (New York Red Bulls)

Defesas (10): DaMarcus Beasley (Sem Clube), Steve Birnbaum (D.C. United), Brad Evans (Seattle Sounders FC), Greg Garza (Atlanta United FC), Matt Hedges (FC Dallas), Taylor Kemp (D.C. United), Chad Marshall (Seattle Sounders FC), Keegan Rosenberry (Philadelphia Union), Walker Zimmerman (FC Dallas), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio-campistas (12): Kellyn Acosta (FC Dallas), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Benny Feilhaber (Sporting Kansas City), Jermaine Jones (LA Galaxy), Sacha Kljestan (New York Red Bulls), Sebastian Lletget (LA Galaxy), Kekuta Manneh (Vancouver Whitecaps FC), Dax McCarty (New York Red Bulls), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Wil Trapp (Columbus Crew SC)

Atacantes (5): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes), Gyasi Zardes (LA Galaxy)


Análise 

Goleiros : Bruce Arena chamou nomes interessantes como Bill Hamid que é um goleiro com potencial, outro destaque é Stefan Frei que é um dos principais goleiros da Major League Soccer. O único nome da lista que eu não gostei foi de Nick Rimando, ele não deveria mais fazer parte da seleção americana. Clint Irwin seria uma excelente opção.

Defesa : Na defesa nomes como Steve Birnbaum, Matt Hedges e Keegan Rosenberry me agradam muito mas ver Brad Evans e Graham Zusi me desapontou muito. Matt Besler foi uma ausência significativa.

Meio-campistas: Sebastian Lletget e Will Trapp na lista de convocados é um alivio, Bruce Arena escolheu muito bons nomes no meio campo com exceção de Kekuta Manneh. Dillon Powers e Kelyn Rowe mereciam estar na lista.

Atacantes : Fiquei desapontado com alguns nomes como Juan Agudelo que parece ser uma promessa que não vingou e Chris Wondolowski. Ausências : Landon Donovan e Jack McInerney.


Ranque de times

1.Seattle Sounders 4 jogadores
2.D.C. United, LA Galaxy, FC Dallas, Philadelphia Union e NY Red Bulls 3 jogadores
3.San Jose Earthquakes, Sporting Kansas City e Toronto FC 2 jogadores
4. Real Salt Lake, Atlanta United, New England Revolution, Vancouver Whitecaps FC, Columbus Crew e Portland Timbers 1 jogador.


Curiosidades

Jozy Altidore pode jogar seu centésimo jogo pelo U.S. Team caso jogue contra Sérvia ou Jamaica, ele pode se tornar o décimo sétimo jogador americano com cem jogos pela time nacional.