terça-feira, 17 de outubro de 2017

Columbus Crew de mudança?



Columbus Crew uma das franquias mas tradicionais da Major League Soccer pode se mudar de Ohio para Austin, Texas. Segundo Anthony Precourt proprietário do Columbus Crew desde 2013 a mudança seria motivada por questões de mercado. Austin é uma cidade em potencial já que é a maior área metropolitana da América do Norte sem uma franquia esportiva das grandes ligas. A construção de um novo estádio mais moderno e mais perto do centro e outro fator que pode determinar a possível mudança que está marcada para 2019.

Anthony Precourt mencionou as dificuldades da franquia para seguir os padrões da Major League Soccer e que segundo ele não está seguindo um curso sustentável. Columbus Crew nesta temporada teve uma média de público de 15,439, terceira pior média da liga, no entanto é um bom público. Dentro de campo o time de Ohio apresentou bons resultados e vai disputar os playoffs e um possível título da MLS Cup nesta temporada.

O ponto crucial é a construção de um novo estádio em Ohio ou em Austin, em ambos o grupo do proprietário do Columbus Crew espera ajuda do estado ou de parceiros privados. Caso não conseguir oficializar um contrato para a construção de um estádio na cidade texana a franquia ira permanecer em Ohio. A última mudança de um franquia de uma cidade para outra aconteceu em 2005 quando o San Jose Earthquakes se mudou para Houston coincidentemente também envolvendo uma cidade texana. Na ocasião surgiu uma nova franquia, o Houston Dynamo enquanto os registros/recordes históricos, cores e Logos se mantiveram com o San Jose que ficou num hiato que duraria até o ano de 2008.

Columbus Crew é uma das dez equipes originais da Major League Soccer que teve como fundadores Lamar Hunt que foi um dos maiores visionários do esporte americano e o seu filho Clark Hunt. O time de Ohio construiu o primeiro estádio específico para o soccer na Major League Soccer o Columbus Crew Stadium (hoje conhecido como Mapfre Stadium) que protagonizou diversos marcos histórias para o futebol dos Estados Unidos. Columbus Crew conquistou uma MLS Cup em 2008, três Supporters' Shield em 2004, 2008, 2009 e uma Lamar Hunt U.S. Open Cup em 2002.

Austin é a capital do estado norte-americano do Texas, é uma cidade com um mercado sustentável com muito potencial. Apesar disso a cidade texana não tem tradição no soccer, os times de maior sucesso foram o Austin Aztex FC e o Austin Lone Stars que disputaram nas ligas inferiores dos Estados Unidos.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Estados Unidos 1x2 Trindade e Tobago


Estados Unidos precisava apenas de um empate para se classificar para Copa do Mundo de 2018 mas Trindade e Tobago e Alvin Jones destruíram o sonho americano vigando-se do famoso Shot Heard Round the World. The Soca Warriors começaram a partida num ritmo fulminante abrindo o placar aos 17 minutos do primeiro tempo graças a um gol contra de Omar Gonzalez. O jogo se tornaria um pesadelo para os americanos quando Alvin Jones num chute magistral marcou o segundo gol de Trindade e Tobago.

Estados Unidos marcou o seu primeiro gol na partida com Christian Pulisic aos 47 minutos do segundo tempo numa jogada individual, a seleção yakeen depois do gol passou a dominar o jogo criando chances que eram salvas pelo goleiro trinitino-tobaguense Adrian Foncette. Com a derrota e as vitórias de Honduras e Panamá os Estados Unidos vão ficar de fora de uma Copa do Mundo pela primeira vez desde 1986.

A seleção americana fez um péssimo jogo com uma performance pífia em toda partida principalmente no primeiro tempo. O treinador da seleção yankee ignorou as péssimas atuações do zagueiro Omar Gonzalez, do meio-campista Darlington Nagbe e dos atacantes Bobby Wood e Jozy Altidore. No segundo tempo os americanos até ensaiaram uma reação mas não passou de uma réstia de esperança com um fim trágico.

Notas:

Tim Howard: Foi muito inseguro e teve culpa no segundo gol (4,5).

DeAndre Yedlin: Apesar de ter impedido o terceiro gol não fez um bom jogo, falhou na marcação e nos cruzamentos (5,0).

Omar Gonzalez: Fez uma partida desastrosa (2,0).

Matt Besler: Foi seguro (6,0).

Jorge Villafaña: Criou algumas jogadas mas falhou na marcação pelo seu lado (5,5).

Michael Bradley: Não foi um líder, errou na ligação direta (5,0).

Paul Arriola: Não foi efetivo mas merecia ter mais minutos (5,5).

Darlington Nagbe: Não foi criativo, perdeu várias bolas, foi terrível (2,0).

Christian Pulisic: Foi o melhor do time, o único que jogou bem (7,0).

Bobby Wood: Pífio, fez muitas faltas de ataque e não ofereceu perigo ao adversário (3,0).

Jozy Altidore: Fez uma péssima partida, parecia que nem estava em campo (2,5).

Clint Dempsey: Entrou com vontade e arriscou bons chutes (6,5).

Kellyn Acosta: Entrou mas não acrescentou nada ao time (4,5).

Benny Feilhaber: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Sua equipe fez uma  péssima partida, ignorou a pobre performance de alguns jogadores e errou nas substituições (3,0).

Trindade e Tobago: Fez um ótimo jogo e aproveitou os erros dos americanos, Alvin Jones e Adrian Foncette foram os destaques.

Arbitragem: Foi péssima, deixou de marcar um pênalti para Trindade e Tobago.

Curiosidades 
Christian Pulisic marcou o seu terceiro gol em Trindade e Tobago.

Trindade e Tobago marcou gols nos Estados Unidos pela primeira vez desde 2008.

Trindade e Tobago venceu os americanos pela quarta vez.

Estados Unidos não perdia para Trindade e Tobago desde 2008.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Estados Unidos vs Trindade e Tobago (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)


Estados Unidos enfrenta Trindade e Tobago nesta terceira feira no dia 10 de outubro no seu décimo e último jogo no Hexagonal Final da CONCACAF pelas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018 na Rússia no Ato Boldon Stadium, Couva. As duas seleções já se enfrentaram por vinte e cinco vezes, os americanos tem um recorde de dezoito vitórias, quatro empates e apenas três derrotas.

A seleção americana está com doze pontos e precisa vencer ou empatar para conquistar a vaga direta da CONCACAF para Copa do Mundo sem depender de outros resultados. Não vai ser a primeira vez que Estados Unidos e Trindade e Tobago protagonizam um jogo decisivo, em 1989 pelas eliminatórias para Copa do Mundo de 1990 os americanos precisavam vencer enquanto Trindade e Tobago precisava de apenas um empate para ir para Copa do Mundo. O jogo foi realizado em Port of Spain, a seleção yankee venceu por 1-0 com gol de Paul Caligiuri, o gol ficou conhecido como Shot Heard Round the World que classificou os americanos para Copa do Mundo depois de uma espera de 40 anos.

Apesar de alguns criticas sobre a sua convocação o treinador da seleção americana no fim provou estava certo, Estados Unidos fez um ótimo jogo contra Panamá, todos jogaram bem, principalmente Christian Pulisic que foi o destaque da partida. Na lista dos convocados existe boas opções que podem ajudar a seleção yankee a conquistar um bom resultado contra Trindade e Tobago.

Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake).

Defesas (9): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), Geoff Cameron (Stoke City), Omar Gonzalez (Pachuca), Michael Orozco (Club Tijuana), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), DeAndre Yedlin (Newcastle United, Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-Campistas (10): Kellyn Acosta (FC Dallas), Juan Agudelo (New England Revolution), Paul Arriola (D.C. United), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Benny Feilhaber (Sporting Kansas City), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes), Bobby Wood (Hamburg).

Ranque das ligas

1.Major League Soccer: 18
2.Premier League e Liga MX: 3
3.Bundesliga: 2

Curiosidades

Estados Unidos enfrentou Trindade e Tobago pela primeira vez em 1982 com uma vitória por 2-1.

Estados Unidos venceu Trindade e Tobago por 4-0 em 2016 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018, foi a maior vitória no confronto.

Os Estados Unidos perderam por 1-0 para Trindade e Tobago em 1986, foi a primeira derrota dos americanos no confronto.

Estados Unidos não leva um gol de Trindade e Tobago desde 2008 quando perdeu por 2-1 para a seleção caribenha nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2010.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Estados Unidos 4-0 Panamá (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos goleou Panamá por 4-0 em seu nono jogo no Hexagonal final da CONCACAF nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018. A seleção americana abriu o placar com Christian Pulisic aos oito minutos do primeiro tempo depois de linda jogada individual. Não demorou muito para os americanos ampliarem o placar abrindo uma vantagem de gols com Jozy Altidore.

A seleção panamenha sentiu o segundo gol e ficou nervosa e passou a fazer muitas faltas. No final do primeiro tempo Jozy Altidore marcou o terceiro gol dos Estados Unidos de pênalti. No segundo tempo Los Canaleros não ofereceram resistência ao time americano principalmente quando Bobby Wood marcou o quarto gol decretando a vitória para seleção yankee.

U.S. Team fez um excelente jogo, talvez um dos melhores do ano, a equipe americana soube controlar o seu adversário, foi criativa e viu uma grande performance da jovem promessa Christian Pulisic. A seleção americana soube lhe dar com a pressão, foi um time muito equilibrado o que proporcionou uma boa atuação em todos os setores do time.

O próximo adversário dos Estados Unidos é como visitante contra Trinidade e Tobago no Ato Boldon Stadium em Couva na terça feira no dia dez de outubro. Com doze pontos os americanos precisam vencer ou empatar para não depender de outros resultados para conquistar a vaga direta da CONCACAF para Copa do Mundo de 2018 na Rússia.

Notas: 


Tim Howard: Foi muito seguro (8,0).

DeAndre Yedlin: Apoiou bem pela direita. (7,0).

Matt Besler: Fez desarmes importantes (7,5).

Omar González: Foi bem na marcação (7,0).

Jorge Flores Villafaña: Foi sólido na lateral esquerda (7,0).

Michael Bradley: Comandou bem no meio-campo, foi burocrático (7,0).

Paul Arriola: Deu velocidade ao time, fez uma assistência (8,0).

Darlington Nagbe: Fez uma parida tática, foi importante na vitória (7,0).

Christian Pulisic: Foi o melhor em campo, foi o jogador mais criativo e decisivo dos Estados Undios (10,0).

Bobby Wood: Lutou bastante e foi esforçado, marcou um bonito gol (8,0).

Jozy Altidore: Fez uma excelente dupla com Pulisic, marcou dois gols e uma assistência (10,0).

Dax McCary: Entrou com vontade, administrou bem a partida (7,5).

Clint Dempsey e Alejandro Bedoya: Sem nota.

Bruce Arena: Armou bem a sua equipe que fez uma excelente performance (9,0).

Panamá: Foi um time apático que apelou para violência.

Arbitragem: Não influenciou no resultado do jogo.

Curiosidades:

Estados Unidos derrotou Panamá na final da Gold Cup de 2005.

Estados Unidos e Panamá se enfrentaram pela primeira vez na Gold Cup de 1993, os americanos venceram por 2a1.

A maior vitória dos Estados Unidos sobre Panamá aconteceu em 2004 pelas eliminatórias para Copa do Mundo de 2006, os americanos venceram os panamenhos por 6a0.

Eric Wynalda marcou o primeiro gol pelo Estados Unidos no confronto contra Panamá.

Panamá derrotou os Estados Unidos nos pênaltis na Gold Cup de 2015.

Estados Unidos não marcava três gols no Panamá desde 2013.

Foi a segunda maior vitória sobre os Los Canaleros no confronto.

Jozy Altidore e Clint Dempsey são os jogadores dos Estados Unidos que marcaram mais gols (18) em eliminatórias na história.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Estados Unidos vs Panamá (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)


Estados Unidos enfrenta a seleção do Panamá nesta sexta feira no dia 6 de outubro pela nona rodada do Hexagonal final da CONCACAF nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018 no Orlando City Stadium em Orlando, Flórida. A seleção americana tem um bom recorde contra os panamenhos, foram dezenove jogos com doze vitórias, seis empates e apenas uma derrota.

A seleção yankee está em quarto lugar no Hexagonal com nove pontos enquanto Panamá está em terceiro lugar com dez pontos. Os americanos precisam vencer o jogo a qualquer custo para não se complicar no Hexagonal e garantir a vaga direta da CONCACAF para Copa do Mundo de 2018 na Rússia.

A lista dos convocados me desapontou, o treinador da seleção americana Bruce Arena ignorou completamente jogadores como: Christian Ramirez, Ethan Finlay, Greg Garza, Ethan Horvath, Matt Miazga, Timothy Chandler e Weston McKennie que mereciam ser convocados por suas performances em seus clubes nos Estados Unidos e na Europa.

Convocados


Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC; 15/0), Tim Howard (Colorado Rapids; 37/0), Nick Rimando (Real Salt Lake; 0/0).

Defesas (9): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo; 35/6), Matt Besler (Sporting Kansas City; 12/1), Geoff Cameron (Stoke City/ENG; 24/2), Omar Gonzalez (Pachuca/MEX; 16/0), Michael Orozco (Club Tijuana/MEX; 6/1), Tim Ream (Fulham/ENG; 6/0), Jorge Villafaña (Santos Laguna/MEX; 4/0), DeAndre Yedlin (Newcastle United/ENG; (8/0), Graham Zusi (Sporting Kansas City; 20/3).

Meio-Campistas (10): Kellyn Acosta (FC Dallas; 5/0), Juan Agudelo (New England Revolution; 0/0), Paul Arriola (D.C. United; 5/1), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union; 9/0), Michael Bradley (Toronto FC/CAN; 38/7), Benny Feilhaber (Sporting Kansas City; 6/0), Dax McCarty (Chicago Fire; 0/0), Darlington Nagbe (Portland Timbers; 9/0), Christian Pulisic (Borussia Dortmund/GER; 11/5), Gyasi Zardes (LA Galaxy; 4/1).

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC/CAN; 39/16), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC; 41/18), Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes; 0/0), Bobby Wood (Hamburg/GER; 12/4).

Ranque das ligas

1.Major League Soccer: 18
2.Premier League e Liga MX: 3
3.Bundesliga: 2

Curiosidades

Estados Unidos derrotou Panamá na final da Gold Cup de 2005.

Estados Unidos e Panamá se enfrentaram pela primeira vez na Gold Cup de 1993, os americanos venceram por 2a1.

A maior vitória dos Estados Unidos sobre Panamá aconteceu em 2004 pelas eliminatórias para Copa do Mundo de 2006, os americanos venceram os panamenhos por 6a0.

Eric Wynalda marcou o primeiro gol pelo Estados Unidos no confronto contra Panamá.

Panamá derrotou os Estados Unidos nos pênaltis na Gold Cup de 2015.

domingo, 24 de setembro de 2017

Estados Unidos da América e do Mundo 2




Goleiras: Karina LeBlanc (Canadá), Emily Alvarado (México), Karen Bardsley (Inglaterra), Anna Picarelli (Itália), Jenny Bindon (Nova Zelândia), Taylor Bucklin (Canadá) e Bianca Henninger (México).


Defensoras: Lauren Sesselmann (Canadá), Nataly Arias (Colômbia), Arianna Romero (México), Bianca Sierra (México), Mónica Alvarado (México), Alina Garciamendez (México), Natalie Vinti (México), Natalie Garcia (México), Ali Riley (Nova Zelândia), Rebecca Smith (Nova Zelândia), Ifeoma Dieke (Escócia), Marlene Sandoval (México), Cynthia Pineda (México), Chelsie Stewart (Canadá), Kimberly Brandão (Portugal), Mary Therese McDonnell (República de Irlanda), Heather Cooke (Filipinas), Martina Franko (Canadá), Rachel Quon (Canadá), Christina Murillo Ruíz (México), Noëlle Maritz (Suíça) e Eva Madarang (Filipinas).


Meio-campista: Sofia Huerta* (México), Verónica Pérez (México), Amanda Perez (México), Leah Fortune (Brasil), Teresa Noyola (México), Shannon McDonnell (República da Irlanda), Adriana Rodrigues (Portugal), Ana María Montoya ( Colômbia) e Amanda Da Costa (Portugal).


Atacantes: Courtney Dike (Nigéria), Renae Cuéllar (México), Shannon Brooks (Guatemala), Regina Holan (Grécia), Melissa Ortiz (Colmbia), Katie Johnson (México), Tanya Samarzich (México), Janine Beckie (Canadá), Danielle Schulmann (Israel) e Elexa Bahr (Honduras).


Legendas

* Jogou pela seleção americana e por outra seleção.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Estados Unidos 1x1 Honduras (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)


Os Estados Unidos conquistou um ponto dramático com um gol tardio após empatar com Honduras por 1-1 jogando no país centro americano. Romell Quioto abriu o placar para Los Catrachos aos 27 minutos do segundo tempo graças ao erro de Omar González. O gol de empate foi marcado por Bobby Wood aos 85 minutos do segundo tempo.

U.S. Team está em quarto lugar com nove pontos e enfrenta Panamá que está em terceiro lugar com dez pontos no dia seis de outubro. O último adversário dos Estados Unidos no Hexagonal final e Trinidad e Tobago que está em último lugar no dia dez de outubro.

A seleção americana fez uma performance pobre contra Honduras sendo um time desorganizado com problemas coletivos. Os Estados Unidos são um time perdido em campo que mostra ter muita pouca objetividade.

Os jogos de setembro válidos pelas eliminatória da CONCACAF foram um choque para a seleção yankee que apresentou diversos problemas com fracas exibições nos dois jogos pondo em risco a classificação do U.S. Team para Copa do Mundo de 2018 na Rússia.


Notas:

Brad Guzan: Não teve culpa no gol, fez duas boas defesas (7,0).

Graham Zusi: Não tem qualidade suficiente para jogar na lateral direita da seleção americana (5,5).

Omar González: Errou no lance do gol (5,0).

Matt Beser: Fez uma boa partida (7,0).

DeMarcus Beasley: Deixou espaços no lado esquerdo (5,5).

Christina Pulisc: Foi o jogador mais criativo do time (7,0).

Michael Bradley: Não fez uma boa partida (6,0).

Kellyn Acosta: Foi valente na marcação no meio-campo (7,0).

Darlington Nagbe: Foi vencido pela marcação (5,5).

Clint Dempsey: Foi omisso, pouco apareceu (5,5).

Bobby Wood: Entrou bem, salvou a sua equipe (7,5).

Bruce Arena: Não conseguiu corrigir os erros do último jogo, sua foi um time desorganizado.

Honduras: Foi um time organizado que soube explorar os contra-ataques.

Arbitragem: Acompanhou os lances de perto, foi bem.

Curiosidades:

Clint Dempsey se tornou o jogador americano com mais jogos (41) pelas eliminatórias para Copa do Mundo.

O primeiro jogo entre as duas equipes foi realizado em 1965, os americanos venceram por 1a0 com gol de Eddie Murphy.

Os Estados Unidos golearam Honduras por 6-0 no dia 24 de março, foi a maior goleada no confronto e a maior vitórias dos americanos no Hexagonal Final da CONCACAF.

Honduras venceu os Estados Unidos pela primeira vez em 2001 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2002.

Quatro jogadores da lista dos vinte e oito convocados de Honduras jogam na Major League Soccer.

Estados Unidos e Honduras se enfrentaram na primeira final da Gold Cup em 1991, os americanos venceram nos pênaltis por 4-3.

Clint Dempsey é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com sete gols.

Bruce Arena fez o seu centésimo jogo como treinador da seleção americana contra Honduras em 2005, os americanos venceram o jogo com gol de Eddie Johnson.

Claudio Reyna fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2004.

Michael Bradley fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2015.

Nas eliminatórias para Copa do Mundo de 1990 os Estados Unidos derrotaram El Salvador por 1-0 em Honduras, Hugo Perez que nasceu em El Salvador mas é naturalizado americano marcou o gol da vitória.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Estados Unidos x Honduras (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Nesta terça feira dia cinco de setembro os Estados Unidos enfrenta Honduras pela oitava rodada do Hexagonal Final da CONCACAF pela eliminatórias para Copa do Mundo de 2018 no estádio Olímpico Metropolitano em San Pedro Sula, Honduras.

Estados Unidos tem um bom retrospecto sobre Honduras com um recorde de dezesseis vitórias, quatro empates e quatro derrotas. Nas eliminatórias os americanos tem um recorde de seis vitórias, duas derrotas e um empate. Em Honduras o U.S. Team tem um recorde de três vitórias, uma derrota e um empate.

A seleção yankee tem o mesmo número de pontos do que Honduras mas está na frente pelo saldo de gol, os americanos precisam de uma vitória para não se complicar na classificação do Hexagonal Final da CONCACAF e não precisar de uma futura combinações de resultados na classificação para Copa do Mundo de 2018 na Rússia.

O treinador da seleção americana Bruce Arena convocou bons nomes para os jogos de setembro no entanto sua equipe fez uma péssima performance contra Costa Rica com falhas na defesa e sucessivos erros coletivos. A lista dos convocados tem potencial para ser um bom time com equilíbrio na defesa no meio-campo e no ataque.

Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake).

Defesas (9): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), Geoff Cameron (Stoke City), Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-Campistas (9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (D.C. United), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC/CAN), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC).

Atacantes (5): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes), Bobby Wood (Hamburg).

Curiosidades: 

O primeiro jogo entre as duas equipes foi realizado em 1965, os americanos venceram por 1a0 com gol de Eddie Murphy.

Os Estados Unidos golearam Honduras por 6-0 no dia 24 de março, foi a maior goleada no confronto e a maior vitórias dos americanos no Hexagonal Final da CONCACAF.

Honduras venceu os Estados Unidos pela primeira vez em 2001 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2002.

Quatro jogadores da lista dos vinte e oito convocados de Honduras jogam na Major League Soccer.

Estados Unidos e Honduras se enfrentaram na primeira final da Gold Cup em 1991, os americanos venceram nos pênaltis por 4-3.

Clint Dempsey é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com sete gols.

Bruce Arena fez o seu centésimo jogo como treinador da seleção americana contra Honduras em 2005, os americanos venceram o jogo com gol de Eddie Johnson.

Claudio Reyna fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2004.

Michael Bradley fez o seu centésimo jogo pela seleção americana contra Honduras em 2015.

Nas eliminatórias para Copa do Mundo de 1990 os Estados Unidos derrotaram El Salvador por 1-0 em Honduras, Hugo Perez que nasceu em El Salvador mas é naturalizado americano marcou o gol da vitória.

Ranque de ligas

1.Major League Soccer: 18
2.Bundesliga: 3
3.Liga MX e EFL Championship: 2
4.Premier League: 1

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Estados Unidos 0x2 Costa Rica (eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)


Estados Unidos sofreu um grande revés pela sétima rodada do Hexagonal Final da CONCACAF para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 na Red Bull Arena em Harrison, New Jersey ao ser derrotado pela Costa Rica por 2-0. Com a derrota os americanos se complicam na Hexagonal da CONCACAF se distanciando das primeiras posições e vendo Honduras que é adversário direto na disputa pela classificação para Copa do Mundo da Rússia com o mesmo número de pontos.

Com o resultado desta partida os americanos tem um recorde quinze vitórias, dezesseis derrotas e cinco empates contra Costa Rica protagonizando um dos confrontos mais equilibrado do futebol internacional. Los Ticos terminaram com a invencibilidade de quatorze jogos dos Estados Unidos e impediram que os americanos terminassem um ano invicto pela primeira vez na história na Era moderna.

A seleção americana fez uma péssima performance contra Costa Rica sendo um time desorganizado e com problemas defensivos. Mesmo com a maior posse de bola os Estados Unidos não foram criativos e criaram poucas chances concretas de gol, as poucas criadas foram desperdiçadas pelo nervosismo de alguns jogadores, foi a pior atuação do time americano sob o comando do treinador Bruce Arena.

Notas:

Tim Howard: Pagou o preço pela péssima atuação do time, não fez uma boa partida (5,5).

Graham Zusi: Foi muito limitado (5,0).

Tim Ream: Omissão deixou espaços (4,5).

Geoff Cameron: Falhou na marcação (5,0).

Jorge Villafaña: Foi pouco produtivo (5,5).

Christian Pulisic: Foi o jogador mais criativo dos Estados Unidos mas se intimidou com as faltas dos adversários (7,0).

Darlington Nagbe: Teve boa iniciativa no jogo mas falhou como o resto do time (6,0).

Michael Bradley: Fez um bom primeiro tempo mas caiu de rendimento (6,5).

Fabian Johnson: Atuação apagada (5,0).

Bobby Wood: Pouco fez (5,0).

Jozy Altidore: Participou do jogo mas não foi bem (6,0).

Clint Dempsey: Esboçou algo mas não passou disto (5,5).

Jordan Morris: Entrou no fim (sem nota).

Paul Arriola: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Não armou bem a sua equipe que teve problemas na defesa e no coletivo (5,5).

Costa Rica: Se defendeu bem, destaque para Marco Ureña que foi muito oportunista.

Arbitragem: Confundiu algumas faltas mas não interferiu no resultado do jogo.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Estados Unidos x Costa Rica (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)




Nesta sexta feira dia primeiro de setembro os Estados Unidos enfrentam a Costa Rica na Red Bull Arena em Harrison, New Jersey pela sétima rodada do Hexagonal Final da CONCACAF para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 na Rússia. O confronto entre as duas equipes é um dos mais equilibrados do futebol internacional, os americanos tem um recorde de quinze vitórias, cinco empates e quinze derrotas. Os yankees só perderam uma única vez jogando nos Estados Unidos e o último jogo entre as duas seleções foi na Gold Cup de 2017 do qual o U.S. Team derrotou Los Ticos por 2-0.

Estados Unidos está em terceiro lugar no Hexagonal Final da CONCACAF com duas vitórias, dois empates, com onze gols marcados e oito sofridos. Para se aproximar da liderança e garantir uma vaga para Copa do Mundo de 2018 os americanos precisam conquistar ao menos quatro pontos nos dois jogos de setembro, dia primeiro contra a Costa Rica nos Estados Unidos e dia cinco contra Honduras como visitante.

Não houve surpresas nos vinte seis jogadores convocados por Bruce Arena para disputar os jogos das eliminatórias em setembro. O treinador da seleção americana convocou os principais jogadores dos Estados Unidos formando uma equipe forte, porém jogadores como Bill Hamid e Timothy Chandler poderiam estar no lugar de Nick Rimando e Graham Zusi. Ouro jogador que poderia estar na lista é Danny Williams que infelizmente é constantemente esnobado pela seleção americana.

Convocados



Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake).

Defesas (9): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), Geoff Cameron (Stoke City), Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-Campistas (9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (D.C. United), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC/CAN), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC).

Atacantes (5): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes), Bobby Wood (Hamburg).

Curiosidades

As duas seleções se enfrentaram pela primeira vez em 1975, Costa Rica venceu por 3-1.

A maior vitória dos Estados Unidos sobre Costa Rica foi um 4-0 na Copa América Centenário em 2016.

A maior vitória da Costa Rica sobre os Estados Unidos foi um 4-0 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu o cargo de treinador da seleção americana.

Estados Unidos está invicto em 2017 com um recorde de nove vitórias e cinco empates.

Ranque de ligas

1.Major League Soccer: 18
2.Bundesliga: 3
3.Liga MX e EFL Championship: 2
4.Premier League: 1

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Gold Cup 2017



A CONCACAF Gold Cup de 2017 foi a décima quarta edição da Gold Cup que teve como país sede os Estados Unidos. Um total de doze equipes se classificaram para disputar o torneio: Estados Unidos, México. Canadá, Honduras, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Curaçao, Jamaica, Guiana Francesa, Martinica e Nicarágua.

Na primeira fase os Estados Unidos se classificaram em primeiro lugar de seu grupo pela terceira vez consecutiva. Os americanos empataram com Panamá por 1-1 na sua estreia, no segundo jogo o U.S. Team derrotou Martinica por 3-2. No último jogo do grupo os yankees derrotaram a seleção da Nicarágua por 3-0. Bruce Arena fez diversas mudanças durante a primeira fase utilizando todos os vinte jogadores convocados com exceção do terceiro goleiro Sean Johnson.

Na fase de eliminatórias o treinador Bruce Arena fez seis alterações na lista dos convocados, por regulamentação do torneio, as equipes têm a oportunidade de fazer até seis mudanças na lista nas após 24 horas da conclusão da fase de grupos. Os Estados Unidos derrotaram El Salvador por 2-0 nas quartas de final. Na semi-final os americanos conquistaram uma boa vitória por 2-0 sobre a Costa Rica que foi o adversário mas forte do U.S. Team na competição.

A fina da Gold Cup 2017 protagonizou uma decisão inédita na competição entre Estados Unidos e Jamaica. Foi a segunda final consecutiva da seleção caribenha que na edição anterior foi derrotada pelo México por 3-1. A seleção yankee derrotou os jamaicanos por 2-1 e conquistou o seu sexto título da Gold Cup.

Análise

Bruce Arena foi ambicioso e montou uma equipe jovem com jogadores com pouco experiência internacional, mesmo com alterações para fase de eliminatórias com a adição de jogadores veteranos os Estados Unidos disputou a Gold Cup com uma equipe mista. O treinador americano acertou na sua decisão e comandou a boa campanha dos Estados Unidos na Gold Cup DE 2017, os americanos terminaram a competição com um recorde de 5-0-1 (V-D-E) com treze gols marcados e apenas três sofridos.

Convocados

Goleiros:

Brad Guzan (32 anos) Atlanta United (MLS)
Bill Hamid    (26 anos) D.C. United (MLS)
Sean Johnson (28 anos) New York City FC (MLS)
Tim Howard (38 anos) Colorado Rapids (MLS)
Jesse González (22 anos) FC Dallas (MLS)

Defesas

Jorge Villafaña (27 anos) Santos Laguna (Liga MX)
Omar Gonzalez (28 anos) Pachuca (Liga MX)
Matt Miazga (21 anos) Chelsea (Premier League)
Matt Besler (30 anos) Sporting Kansas City (MLS)
Eric Lichaj (28 anos) Nottingham Forest (EFL Championship)
Justin Morrow (29 anos) Toronto FC (MLS)
Graham Zusi (30 anos) Sporting Kansas City (MLS)
Matt Hedges (27 anos) FC Dallas (MLS)

Meio-Campistas

Kelyn Rowe (25 anos) New England Revolution (MLS)
Chris Pontius (30 anos) Philadelphia Union (MLS)
Gyasi Zardes (25 anos) LA Galaxy (MLS)
Joe Corona (26 anos) Tijuana (Liga MX)
Alejandro Bedoya  (30 anos) Philadelphia Union (MLS)
Dax McCarty (30 anos) Chicago Fire (MLS)
Cristian Roldan (22 anos) Seattle Sounders FC (MLS)
Paul Arriola (22 anos) Tijuana (Liga MX)
Kellyn Acosta (21 anos) FC Dallas (MLS)
Darlington Nagbe  (26 anos) Portland Timbers (MLS)
Michael Bradley (29 anos) Toronto FC (MLS)

Atacantes

Jordan Morris (22 anos) Seattle Sounders FC (MLS)
Dom Dwyer (26 anos) Sporting Kansas City (MLS)
Juan Agudelo (24 anos) New England Revolution (MLS)
Jozy Altidore (27 anos) Toronto FC (MLS)
Clint Dempsey (34 anos) Seattle Sounders FC (MLS)


Alterações

Brad Guzan substituído por Tim Howard.
Sean Johnson substituído por Jesse González.
Kelyn Rowe substituído por Darlington Nagbe.
Alejandro Bedoya substituído por Michael Bradley.
Dom Dwyer substituído por Jozy Altidore.
Cristian Roldan substituído por  Clint Dempsey.

Treinador: Bruce Arena.

Artilheiros 

1.Jordan Morris: 3
2.Omar Gonzalez e Jozy Altidore: 2
3.Joe Corona, Clint Dempsey, Dom Dwyer, Eric Lichaj, Matt Miazga e Kelyn Rowe: 1


Ranque de Ligas:

1.Major League Soccer: 23
2.Liga MX: 4
3.Premier League e EFL Championship: 1


Curiosidades:

A média de público da Gold Cup de 2017 foi de 32,784.

Quarenta e nove jogadores da Major League Soccer jogaram na Gold Cup de 2017.

Dos cinquenta e cinco gols marcados na competição, dezenove foram marcados por jogadores da Major League Soccer.

Estados Unidos teve o melhor ataque da competição com treze gols.

Bruce Arena é o treinador com mais títulos (3) na Gold Cup: 2002, 2005 e 2007.

Seleção americana conquistou o seu sexto título na Gold Cup: 2002. 2005, 2007, 2013 e 2017.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de quatorze jogos com um recorde de nove vitórias e cinco empates.

Foi o primeiro título da Gold Cup da seleção americana desde que Landon Donovan se aposentou.

Clint Dempsey marcou o seu quinquagésimo sétimo gol pela seleção americana igualando a marca de Landon Donovan.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Estados Unidos 2-1 Jamaica (Gold Cup 2017, Final)

                     

Estados Unidos enfrentou uma Jamaica que deu tudo de si que usou a força física e velocidades de seus jogadores para dificultar o jogo dos americanos, a seleção do caribe também aproveitou bastante o seus status de azarão na competição sabendo que toda pressão estaria sobre a seleção yankee que soube controlar os nervos e dominar a partida conquistando uma vitória por 2-1 com uma boa performance.

O primeiro tempo foi morno, a seleção jamaicana se defendeu muito bem mas no final do primeiro tempo tomou uma ducha de água fria ao sofrer um magistral gold de falta do Jozy Altidore. No segundo tempo a seleção americana continuo dominado a partida mas cedeu o empate aos 50 minutos, Je-Vaughn Watson marcou o gol dos Reggae Boyz. Tudo indicava que o jogo iria para prorrogação mas no final da partida Jordan Morris marcou o gol da vitória americana e do título da seleção yankee que conquistou a Gold Cup pela sexta vez.

Notas:
Tim Howard: Não teve culpa no gol, fez uma boa partida (7,0).

Graham Zusi: Foi bem defensivamente (7,0).

Matt Besler: Marcou bem (7,5).

Omar González: Fez desarmes importantes (7,5).

Jorge Villafaña: Foi bem pelo lado esquerdo (6,5).

Paul Arriola: Casou problemas para defesa adversária (7,0).

Kellyn Acosta: Teve boa iniciativa no meio-campo (7,0).

Michael Bradley: Foi um dos principais jogadores no meio-campo (7,0).

Darlington Nagbe: Sofreu sete faltas! deu velocidade e criatividade ao time (8,0).

Jozy Altidore: Fez um gol de falta sensacional (8,0).

Jordan Morris: Errou no lance do gol mas se redimiu marcando o gol da vitória (7,5).

Clint Dempsey: Mostrou sua técnica mas não contribui muito para o jogo (6,5).

Gyasi Zardes: Entrou errando alguns passes, mas fez parte da jogada do segundo gol (6,5).

Bruce Arena: Sua equipe jogou com calma e não cometeu equívocos (7,0).

Jamaica: Soube se defender bem e se beneficiou da velocidade e força física de seus jogadores.

Arbitragem: Foi bem.

Curiosidades:

Bruce Arena é o treinador com mais títulos (3) na Gold Cup: 2002, 2005 e 2007.

Seleção americana conquistou o seu sexto título na Gold Cup: 2002. 2005, 2007, 2013 e 2017.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de quatorze jogos com um recorde de nove vitórias e cinco empates.

Foi o primeiro título da Gold Cup da seleção americana desde que Landon Donovan se aposentou.

Seleção americana teve o melhor ataque da competição com treze gols marcados

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Estados Unidos vs. Jamaica (Gold Cup 2017, Final)



O momento mais esperado da Gold Cup de 2017 finalmente chegou com uma final inédita entre Estados Unidos e Jamaica. O jogo será realizado no Levi's Stadium em Santa Clara, Califórnia nesta quarta feira dia 26 de julho. A seleção americana tem um bom retrospecto contra os Reggae Boyz com um recorde de quatorze vitórias, nove empates e apenas duas derrotas. Apesar do histórico, as duas seleções só se enfrentaram quatro vezes na Gold Cup com três vitórias para os americanos e uma vitória paras os jamaicanos que aconteceu na semi-final da Gold Cup de 2015.

U.S. Team está invicto na competição com quatro vitórias, um empate, dez gols marcados e três gols sofridos. Jamaica teve mais dificuldades para chega na final com duas vitórias, dois empates, seis gols marcados e dois gols sofridos. Apesar dos números medianos a seleção jamaicana mostrou ser um adversário perigoso eliminado o México na semi-final com uma surpreendente vitória. A seleção americana tem que ter o máximo de concentração possível para não cometer equívocos contra os Reggae Boyz que certamente vão fazer um jogo muito difícil.

Convocados:

Goleiros (3): Jesse Gonzalez (FC Dallas), Bill Hamid (D.C. United), Tim Howard (Colorado Rapids).

Defesas(8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca / MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest / ENG), Matt Miazga (Chelsea / ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna / MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana / MEX), Michael Bradley (Toronto FC), Joe Corona (Club Tijuana / MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (4): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).

Curiosidades:

As duas seleções se enfrentaram pela primeira vez em 1988 num empate sem gols.

A maior vitória do confronto foi num amistoso em 2002, os americanos golearam por 5-0.

Em toda história os americanos só perderam duas vezes para Jamaica, ambas sob o comando do Klinsmann.

Jamaica disputa a sua segunda final consecutiva na Gold Cup.

Frank Klopas é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com quatro gols.

Seleção americana está sem sofrem gols em três jogos consecutivos.

Estados Unidos vai disputar a sua décima final na Gold Cup, venceu cinco.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de treze jogos com um recorde de oito vitória e cinco empates.

Doze jogadores da seleção jamaicana jogam nos Estados Unidos.

Seleção americana tem o melhor ataque da competição com dez gols marcados.

domingo, 23 de julho de 2017

Estados Unidos 2x0 Costa Rica (Gold Cup 2017, Semi-Final)



Estados Unidos derrotou Costa Rica por 2-0 no seu primeiro grande teste na competição com uma excelente performance. A seleção americana foi acusada pelos fans e pela mídia por ter dificuldades para vencer seleções com menos tradição mas no duelo pela semi-final contra Los Ticos ficou evidente que mesmo com uma equipe alternativa a seleção americana faz uma grande campanha na Gold Cup de 2017 e pode estar muito perto de conquistar o sexto título na competição.

Os americanos tiveram mais atitude na partida dominado o jogo durante a maior parte do tempo, os gols só saíram no segundo tempo depois da entrada de Clint Dempsey que mudou a trajetória do confronto sendo essencial para vitória dos Estados Unidos sobre Costa Rica. O atacante do Seattle Sounders fez uma assistência para Jozy Altidore abrir o placar para seleção yankee aos 72 minutos. Dez minutos depois Clint Dempsey fez um gol histórico igualando a marca de 57 gols de Landon Donovan e decretando a vitória americana sobre os costa-riquenhos.

Notas:

Tim Howard: Fez um bom jogo, foi muito seguro (8,0).

Graham Zusi: Fez uma partida satisfatória (6,5).

Omar González: Fez algumas faltas desnecessárias (6,5).

Matt Besler: Marcou bem (7,0).

Jorge Villafaña: Não foi bem defensivamente (5,5)

Kelly Acosta: Não foi muito criativo mas segurou bem o meio-campo (7,0).

Michael Bradley: Fez boa distribuição de passes (8,0).

Paul Arriola: Foi esforçado ajudando o time na ataque (7,0).

Darlington Nagbe: Foi muito criativo dando velocidade ao time (8,0).

Jordan Morris: Não foi efetivo (6,0).

Jozy Altidore: Lutou bastante e foi premiado com um gol (7,0).

Clint Dempsey: Fez uma partida magistral sendo o principal jogador dos Estados Unidos (10,0)

Gyasi Zardes e Dax McCarty: Entram no fim do jogo (sem nota)

Bruce Arena: Melhor partida da seleção americana que jogou de forma eficiente (10,0).

Costa Rica: Foi completamente anulada pela boa marcação americana.

Arbitragem: Teve um jogo tranquilo, foi bem.

Curiosidades: 

Estados Unidos e Costa Rica protagonizam um dos duelos mais equilibrados do futebol internacional com um recorde de: 15-15-5 (V-D-E).

Estados Unidos tem o melhor ataque da competição com dez gols marcados em cinco jogos.

Clint Dempsey marcou o seu quinquagésimo sétimo gol pela seleção americana igualando a marca de Landon Donovan.

Jozy Altidore marcou o seu trigésimo oito gol pela seleção americana, ele é o terceiro maior artilheiro do U.S. Team.

Tim Howard fez o seu 41 Shutout em 117 jogos pela seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de treze jogos com um recorde de oito vitórias e cinco empates.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

Estados Unidos vai disputar a sua décima final na Gold Cup.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Estados Unidos vs. Costa Rica (Gold Cup 2017, Semi-Final)


U.S. Team enfrenta a seleção da Costa Rica pela semi-final da Gold Cup de 2017 no AT&T Stadium em Arlington, Texas no sábado dia 22 de julho. Os americanos tem um recorde de quatorze vitória, quinze derrotas e cinco empates contra os costa-riquenho. No último jogo entre as duas equipes a seleção yankee perdeu por 4-0, nos últimos quatro jogos o retrospecto também não é bom para os Estados Unidos que perdeu três e venceu apenas um. Esse retrospecto muda completamnete nos confrontos na Gold Cup, a seleção yankee nunca perdeu para Los Ticos na competição com um recorde de seis vitórias e um empate.

Estados Unidos e Costa Rica estão invictos na Gold Cup 2017, ambos com três vitórias e um empate na competição. Os americanos marcaram oito gols e sofreram três, a seleção da Costa Rica marcou seis gols e sofreeu apenas um. Para chegar a semi-final a seleção yankee derrotou El Salvador por 2-0 nas quartas de final, Los Ticos derrotaram Panamá por 1-0. O vencedor desse jogo enfrenta México ou Jamaica.


Convocados:

Goleiros (3): Jesse Gonzalez (FC Dallas), Bill Hamid (D.C. United), Tim Howard (Colorado Rapids).

Defesas(8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca / MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest / ENG), Matt Miazga (Chelsea / ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna / MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana / MEX), Michael Bradley (Toronto FC), Joe Corona (Club Tijuana / MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (4): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).


Curiosidades: 

Estados Unidos tem o melhor ataque da competição com oito gols em quatro jogos.

A seleção americana tem uma invencibilidade de doze jogos com um recorde de sete vitórias e cinco empates.

As duas seleções se enfrentaram pela primeira vez em 1975, Costa Rica venceu por 3-1.

A maior vitória dos Estados Unidos sobre Costa Rica foi um 4-0 na Copa América Centenário em 2016.

A maior vitória da Costa Rica sobre os Estados Unidos foi um 4-0 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018.

Joel Campbell (Costa Rica) é o artilheiro do confronto com cinco gols.

Landon Donovan é o artilheiro dos Estados Unidos com três gols.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Estados Unidos 2x0 El Salvador (Quartas de Final, Gold Cup 2017)


Estados Unidos derrotam El Salvador por 2-0 e se classificam para semi-final da Gold Cup de 2017: A partida começou num ritmo acelerado com a seleção salvadorenha dando alguns sustos no U.S. Team. Aos 15 minutos do primeiro tempo Gyasi Zardes fez boa jogada e marcou um gol que foi anulado de forma equivocada pela arbitragem. Omar González marcou o primeiro gols dos Estados Unidos e segundo na competição aos 41 minutos do primeiro tempo, alguns minutos depois numa boa troca de passes Eric Lichaj marcou o segundo gol dos americanos no jogo. El Salvador chegava ameaçar os Estados Unidos durante o jogo mas sempre falhava no último passe enquanto a seleção americana jogava com certa tranquilidade dominando a partida.

O próximo adversário dos Estados Unidos é a Costa Rica pela semi-final da Gold Cup no sábado dia 22 de julho, a partida será realizada no AT&T Stadium em Arlington, Texas.

Análise do jogo: 

A seleção americana jogou contra uma equipe muita esforçada mas soube controlar a partida dominado o seu adversário se defendendo bem e com um meio-campo que foi muito sólido principalmente com a performance de Michael Bradley que foi o principal responsável pela ligação entre a defesa e o ataque.

Notas:

Tim Howard: Foi muito seguro no jogo (8,0).

Eric Lichaj: Foi muito bem na defesa e marcou um gol (8,5).

Matt Hedges: Fez desarmes importantes (7,0).

Omar González: Marcou um gol e foi atento na defesa (8,5).

Justin Morrow: Errou alguns passes, fez uma partida razoável (6,0).

Michael Bradley: Administrou muito bem o meio-campo (9,0).

Darlington Nagbe: Foi bem na parte tática (7,0).

Paul Arriola: Sempre insistente criou boas jogadas pelo seu lado (7,0).

Gyasi Zardes: Foi bem pelo seu lado, teve um gol anulado injustamente (7,5).

Clint Dempsey: Teve uma boa movimentação no jogo (7,0).

Jozy Altidore: Nervoso, apareceu pouco e só se preocupou em provocar o adversário (3,0).

Jordan Morris: Entrou para dar velocidade ao ataque, apareceu pouco (6,0).

Kellyn Acosta: Entrou para segurar o jogo, deu qualidade ao meio-campo (6,5).

Christian Pontius: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Armou bem a equipe que fez um bom jogo (7,0).

El Salvador: Foi uma equipe criativa mas pecou nas oportunidades perdidas.

Arbitragem: Errou em anular o gol, no restante foi bem.


Curiosidades:

Eric Lichaj marcou o seu primeiro gol pela seleção americana e o 800º gol da Gold Cup.

Bruce Arena tem doze jogos de invencibilidade desde seu retorna na seleção americana com um recorde de sete vitórias e cinco empates.

Seleção americana vai disputar a sua nona semi-final consecutiva na Gold Cup.

Omar González foi o segundo zagueiro americano a marcar dois gols na Gold Cup, o primeiro foi Caros Bocanegra em 2003.

Clint Dempsey é o quarto jogador da seleção americana com mais assistências empatando com Claudio Reyna.

Michael Bradley é o segundo jogador da seleção americana com mais assistências empatando com Cobi Jones.

Clint Dempsey é o terceiro jogador com mais jogos pela seleção americana com 135 partidas.

Michael Bradley é o quarto  jogador com mais jogos pela seleção americana com 134 partidas.

Tim Howard tem 40 clean sheets em 116 jogos.

A defesa marcou quatro dos oito gols feitos pela seleção americana na Gold Cup.

Links:

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/07/estados-unidos-x-el-salvador-quartas-de.html

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-19-us-mens-national-team-vs-el-salvador/recap

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Estados Unidos x El Salvador (Quartas de Final, Gold Cup 2017)




Estados Unidos enfrenta El Salvador pelas quartas de final da Gold Cup 2017 no Lincoln Financial Field, Philadelphia nesta quarta feira dia 19 de julho. A seleção americana nunca perdeu para El Salvador, os americanos têm um recorde de dezessete vitórias e cinco empates. Na Gold Cup foram cinco confrontos todos com vitória da seleção yankee. A última vez que as duas seleções se enfrentaram foi na Gold Cup de 2013, U.S. Team venceu por 5-1.

A seleção americana se classificou em primeiro lugar do Grupo B com um recorde de duas vitórias, um empate com sete gols marcados e três sofridos. El Salvador se classificou como segundo melhor terceiro colocado com um recorde de uma vitória, uma derrota, um empate com quatro gols marcados e quatro sofridos.

O treinador da seleção americana fez seis mudanças na lista dos vinte e três convocados para fase de eliminatórias da Gold Cup. Por regulamentação do torneio, as equipes têm a oportunidade de fazer até seis mudanças na lista nas após 24 horas da conclusão da fase de grupos. Os goleiros Tim Howard e Jesse Gonzalez, os meio-campistas Michael Bradley e Darlington Nagbe e os atacantes Jozy Altidore e Clint Dempsey foram adicionados à lista. Os seis jogadores substituem os goleiros Brad Guzan e Sean Johnson, os meio-campistas Alejandro Bedoya, Cristian Roldan e Kelyn Rowe, e o atacante Dom Dwyer.

Com as mudanças a equipe americana fica mais experiente e ganha mais qualidade no entanto Alejandro Bedoya (Philadelphia Union) e Kelyn Rowe (New England Revolution) mereciam ficar no time, eles foram os melhores jogadores dos Estados Unidos na primeira fase da Gold Cup. A novidade entre os convocados é o goleiro Jesse Gonzalez (FC Dallas) nascido nas Estados Unidos chegou a jogar na seleção mexicana sub-20 e sub-23 mas optou para jogar na seleção principal dos Estados Unidos.


Convocados:

Goalkeepers (3): Jesse Gonzalez (FC Dallas), Bill Hamid (D.C. United), Tim Howard (Colorado Rapids).

Defenders (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca / MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest / ENG), Matt Miazga (Chelsea / ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna / MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Midfielders (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana / MEX), Michael Bradley (Toronto FC), Joe Corona (Club Tijuana / MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Forwards (4): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).

Curiosidades:

Estados Unidos e El Salvador se enfrentaram pela primeira vez em 1997, os americanos venceram por 2-1.

Estados Unidos golearam El Salvador por 7-0 em 1993, foi a maior vitória dos americanos sobre El Salvador.

Joex Max Moore marcou quatro gols na goleada americana por 7-0 sobre El Salvador em 1993.

Brian McBride é o artilheiro no confronto com sete gols.

Estados Unidos tem uma invencibilidade de onze jogos.

Bruce Arena tem um recorde de seis vitórias e cinco empates desde que assumiu a seleção americana.

Os Estados Unidos tem o melhor ataque da Gold Cup de 2017 com sete gols marcados em três jogos.

sábado, 15 de julho de 2017

Estados Unidos 3x0 Nicarágua (Gold Cup 2017)



Estados Unidos derrotaram Nicarágua por 3-0 e se classificaram em primeiro lugar no Grupo B: Os americanos abriram o placar aos 36 minutos do primeiro tempo depois de uma boa jogada individual de Joe Corona. Kelyn Rowe marcou o segundo gol da seleção yankee na partida após receber um passe de Alejandro Bedoya aos 56 minutos do segundo. No final do jogo aos 88 minutos Matt Miazga marcou o terceiro gol do U.S. Team no jogo e garantiu a vitória americana por 3-0.

Análise do jogo

A seleção americana fez uma partida segura sendo um time criativo mas falhou na concretização podendo ter conquistado um placar mais elástico na partida. A defesa fez uma boa performance conseguindo impedir a maioria dos ataques da seleção da Nicarágua.

Notas: 


Bill Hamid: Fez boas defesas (8,0).

Graham Zusi: Apoiou bem pelo seu lado, fez uma assistência (7,0).

Matt Miazga: Foi bem na defesa e marcou um gol (8,0).

Matt Besler: Marcou bem (7,0).

Jorge Villafaña: Fez um bom jogo (6,5).

Dax McCarty: Foi importante no meio-campo (7,0).

Alejandro Bedoya: Foi o jogador mais criativo da seleção americana, fez duas assistências (9,0).

Kelyn Rowe: Foi bem ofensivamente, marcou um gol (8,0).

Chris Pontius: Foi bem no primeiro tempo (6,5).

Joe Corona: Mostrou personalidade no gol mas perdeu um pênalti (7,0).

Dominic Dwyer: Perdeu muitas chances e um pênalti (5,0).

Juan Agudelo: Deu trabalho para defesa adversária (6,5).

Paul Arriola: Ajudou no ataque (7,0).

Jordan Morris: Deu boa movimentação ao time (6,5).

Bruce Arena: Sua equipe fez um bom jogo sem levar grande sustos (7,0).

Nicarágua: Jogou dentro de suas limitações, o goleiro Justo Lorente foi o destaque do time defendendo dois pênaltis.

Arbitragem: Foi bem no jogo.


Curiosidades:

Matt Miazga e Kelyn Rowe marcaram pela primeira vez pela seleção americana.

U.S. Team tem uma invencibilidade de onze jogos com um recorde de seis vitórias e cinco empates.

Estados Unidos se classificou para fase de eliminatórias da Gold Cup  pela décima terceira vez como líder do grupo.

Bruce Arena está invicto desde seu retorno ao U.S. Team.

Sean Johnson (terceiro goleiro) foi o único jogador dos vinte três convocados que não jogou um jogo na Gold Cup 2017.

Links:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-15-nicaragua-vs-us-mens-national-team/recap

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Estados Unidos x Nicarágua (Gold Cup 2017)




Estados Unidos enfrenta Nicarágua neste sábado no dia 15 de julho no FirstEnergy Stadium – Cleveland, Ohio pelo último jogo da fase de Grupos da Gold Cup. A seleção americana disputa a liderança do Grupo B com Panamá, ambas seleções com uma vitória e um empate mas o U.S. Team esta na frente pelo número de gols marcados. Nicarágua perdeu os dois jogos que disputou e esta praticamente eliminada da Gold Cup 2017.

U.S. Team nos dois primeiros jogos fez uma performance pobre por causa da falta de entrosamento da equipe que tem jogadores jovens com pouco experiencia internacional. O jogo contra Nicarágua é a grande chance da seleção americana ter um bom resultado para ganhar confiança já que a seleção da Nicarágua é a equipe com menos tradição do grupo e tem poucas chances de avançar para próxima fase da Gold Cup 2017.


Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Bill Hamid (D.C. United), Sean Johnson (New York City FC)

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca, MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest, ENG), Matt Miazga (Chelsea, ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna, MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meios-Campistas(9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana, MEX), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Joe Corona (Club Tijuana, MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Chris Pontius (Philadelphia Union), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC), Kelyn Rowe (New England Revolution), Gyasi Zardes (LA Galaxy)

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution), Dom Dwyer (Sporting Kansas City), Jordan Morris (Seattle Sounders FC)

Curiosidades

Estados Unidos e Nicarágua se enfrentam pela primeira vez na história.

Segunda participação da Nicarágua na Gold Cup, a primeira foi em 2009.

Com nove jogadores o Real Esteli (Nicarágua) é o clube com mais jogadores na Gold Cup 2017.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Estados Unidos 3x2 Martinica (Gold Cup 2017)




Estados Unidos derrotam Martinica por 3-2 em jogo complicado:
Todos os gols saíram no segundo tempo depois de um primeiro tempo bem morno. A seleção americana saiu na frente aos 54 minutos com Omar González. Jordan Morris marcou o segundo gols dos Estados Unidos na partida. Martinica reagiu e empatou o jogo com dois gols de Kevin Parsemain. Jordan Morris marcou o gol da vitória americano aos 76 minutos do segundo tempo.

O próximo jogo do U.S. Team é contra Nicarágua no dia 15 de julho, os americano lideram o Grupo B com quatro pontos, Panamá esta em segundo também com quatro pontos, Martinica ocupa o terceiro lugar com três pontos e Nicarágua é último colocado do grupo com duas derrotas em dois jogos.

Análise: 

A seleção americana não fez um bom jogo mostrando problemas no ataque que teve dificuldades para superar a marcação de Martinica e na defesa com erros de posicionamento e na marcação principalmente nas laterias. A baixa performance dos Estados Unidos nesses depois primeiros jogos é consequência a falta de entrosamento do time devido as experiencias feita pelo treinador Bruce Arena.

Notas:

Brad Guzan: Fez boas defesas mas errou no primeiro gol (6,5).

Eric Lichaj: Participou do lance de gol mas não foi bem defensivamente (6,5).

Omar González: Foi oportunista em fazer o seu gol mas poderia ter sido melhor na marcação (6,5).

Matt Besler: Falhou na cobertura no segundo gol (6,0).

Justin Morrow: Não fez um bom jogo, falhou na marcação deixando muito espaço na lateral (5,5).

Paul Arriola: Foi esforçando causando problemas para defesa adversária (6,5).

Kellyn Acosta: Só participou do jogo nas bolas paradas (5,0).

Cristian Roldan: Fez uma partida mediana (6,0).

Gyasi Zardes: Foi bem presente no ataque, fez uma assistência (7,0).

Juan Agudelo: Foi pouco efetivo (5,5).

Jordan Morris: Melhor em campo marcou dois gols jogando com garra (8,5).

Alejandro Bedoya: Entrou bem, participou do lance do primeiro gol (7,0).

Chris Pontius: Apareceu pouco no jogo (6,0).

Dax McCarty: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Sua equipe não fez um bom jogo (6,0).

Martinica: Surpreendeu o time americano principalmente nos contra-ataques, Kevin Parsemain e Stephane Abaul foram os principais jogadores da equipe.

Arbitragem: Conduziu bem o jogo.


Curiosidades: 

David Regis que disputou duas Copas do Mundo (1998 e 2002) pela seleção americana nasceu na Martinica.

Foi a primeira vez que Martinica marcou gols nos Estados Unidos.

Com 22 anos Jordan Morris é o segundo jogador mais jovem com dois gols, o primeiro foi Landon Donovan com quatro gols na Gold Cup de 2003.

Cristian Roldan fez a sua estreia internacional.

A seleção americana tem uma invencibilidade de dez jogos com um recorde de cinco vitórias e cinco empates.

Foi a quarta vez em que a seleção yankee sofreu gols de uma equipe caribenha jogando nos Estados Unidos: em 2015 EUA 1x2 Jamaica, em 2009 EUA 2x2 Haiti e em 1996 EUA 3x2 Trinidade.

Links:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-12-us-mens-national-team-vs-martinique/recap

https://en.wikipedia.org/wiki/2017_CONCACAF_Gold_Cup

terça-feira, 11 de julho de 2017

Estados Unidos x Martinica (Gold Cup 2017)



Estados Unidos enfrenta Martinica nesta quarta feira dia 12 de julho de 2017 pela segunda rodada do Grupo B na Gold Cup de 2017 no Raymond James Stadium – Tampa, Florida. As duas seleção se enfrentaram na Gold Cup de 2003, na ocasião os americanos venceram por 2-0 com dois gols de Brian McBride. A seleção yankee empatou com Panamá na sua estreia na competição com uma fraca exibição enquanto Martinica estreou com uma boa vitória sobre Nicarágua por 2-0.

Bruce Arena convocou uma equipe com formada com a maioria de jogadores que jogam na Major League Soccer e com poucos jogos na seleção com a intenção de fazer experiencias na primeira fase da competição. A seleção americana tem uma defesa sólida e tem um meio campo criativo, no no entanto poderia ter mais opções nas laterias e no ataque.

Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Bill Hamid (D.C. United), Sean Johnson (New York City FC)

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca, MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest, ENG), Matt Miazga (Chelsea, ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna, MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meios-Campistas(9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana, MEX), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Joe Corona (Club Tijuana, MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Chris Pontius (Philadelphia Union), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC), Kelyn Rowe (New England Revolution), Gyasi Zardes (LA Galaxy)

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution), Dom Dwyer (Sporting Kansas City), Jordan Morris (Seattle Sounders FC)

Curiosidade: David Regis que disputou duas Copas do Mundo (1998 e 2002) pela seleção americana nasceu na Martinica.

sábado, 8 de julho de 2017

Estados Unidos 1x1 Panamá (Gold Cup)



Seleção americana empata com Panamá na estreia da Gold Cup: O primeiro tempo as duas seleção ficaram no 0-0 num jogo muito travado, os jogadores sentirem dificuldades devido a alta temperatura. No segundo tempo o jogo mudou completamente e passou a ser mais aberto, numa jogada magistral de Kelyn Rowe os Estados Unidos abriram o placar com Dom Dwyer aos 50 minutos do segundo tempo. Não demorou muito para os panamenhos empatarem a partida, aos 60 minutos do segundo tempo depois de um rebote Miguel Camargo marcou o gol de empate do Panamá.

O próximo jogo da seleção yankee é contra Martinica (que faz a sua quinta participação na Gold Cup) no dia 12 de julho enquanto Panamá enfrenta a seleção da Nicarágua (que faz a sua segunda participação na Gold Cup) também no dia 12. Martinica e Nicarágua fecham a primeira rodada pelo Grupo B.

Análise do jogo

Estados Unidos não fez um bom jogo apresentando problemas para quebrar a marcação do adversário e cometendo erros na defesa. O empate pode ser considerado desapontante pelo torcedores mas Panamá sempre faz um jogo duro com a seleção americana e a alta temperatura também influenciou muito no desempenho de ambos os times na partida.


Nota:

Brad Guzan: Fez pelo menos três grandes defesas, não teve culpa no gol (8,0).

Graham Zusi: Foi inseguro na defesa e na cobertura (5,5).

Omar González: Não foi bem na marcação (6,0).

Matt Besler: Errou na saída de bola (6,0).

Jorge Flores Villafaña: Criou algumas jogadas pela esquerda mas não marcou bem (6,5).

Dax McCarty: Marcou bem no meio-campo (6,5).

Kellyn Acosta: Foi bem na marcação e participou de algumas jogadas (6,5)

Alejandro Bedoya: Fez um ótimo jogo criando jogadas e participando na marcação (8,0).

Joe Corona: Fez uma má partida sendo pouco criativo e errando passes (5,5).

Kelyn Rowe: Foi um dos jogadores mais esforçados, deu o passes do gol (8,5).

Dom Dwyer: Foi oportunista no lance do gol (7,5).

Juan Agudelo: Pouco acrescentou (6,0).

Gyasi Zardes: Claramente fora de ritmo (5,5).

Jordan Morris: Entrou no fim, pouco pode fazer (6,0).

Bruce Arena: Não escolheu a melhor formação para o jogo, errou nas substituições (5,5).

Panamá: Fez um jogo sólido principalmente na marcação no meio-campo.

Arbitragem: Fez um jogo tranquilo.


Curiosidades: 

Primeiro gol de Dom Dwyer na Gold Cup e segundo consecutivo pela seleção americana.

Primeira assistência de Kelyn Rowe na seleção americana.

Estados Unidos marcou em dezenove jogos consecutivos na Gold Cup.

Nashville, Tennessee bateu recorde de público numa partida de futebol com 47,622 torcedores.

Quinto empate entre as duas equipe.

Recorde dos Estados Unidos na fase de grupos da Gold Cup: 30 vitórias, 1 derrota e 4 empates.

Nashville tem planos de ter uma franquia na Major League Soccer.

Bruce Arena está invicto desde o seu retorno na seleção americana com um recorde de quatro vitórias e cinco empates.

Link:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-08-us-mens-national-team-vs-panama/stats

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Estados Unidos vs. Panamá (Gold Cup 2017)



Estados Unidos enfrenta Panamá na sua estreia na Gold Cup 2017 pelo Grupo B no sábado dia 8 de julho no Nissan Stadium, Nashville. A seleção americana derrotou Gana por 2-1 em partida amistosa como preparação para a Gold Cup e está invicta a oito jogos. As duas equipes se enfrentaram doze vezes, os americanos tem um recorde de doze vitórias, quatro empates e duas derrotas. Outros participantes do Grupo B são: Nicarágua e Martinique.

Bruce Arena convocou um equipe mista formada por sua grande maioria com jogadores da Major League Soccer e com jogadores com poucos jogos na seleção. O setor mais forte da equipe yankee que vai disputar a Gold Cup de 2017 são os zagueiros que formam uma defesa muito sólida. No meio campo também tem boas opções que tornam a seleção americana um time criativo no entanto o ataque poderia ter mais opções, por exemplo Christian Ramirez que com certeza iria acrescentar algo ao time.


Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC; 55/0), Bill Hamid (D.C. United; 2/0), Sean Johnson (New York City FC; 5/0)

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City; 40/1), Omar Gonzalez (Pachuca/MEX; 40/1), Matt Hedges (FC Dallas; 3/0), Eric Lichaj (Nottingham Forest/ENG; 11/0), Matt Miazga (Chelsea/ENG; 2/0), Justin Morrow (Toronto FC/CAN; 1/0), Jorge Villafaña (Santos Laguna, MEX; 7/0), Graham Zusi (Sporting Kansas City; 49/5)

Meio-Campistas(9): Kellyn Acosta (FC Dallas; 9/1), Paul Arriola (Club Tijuana/MEX; 6/2), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union; 61/2), Joe Corona (Club Tijuana/MEX; 18/2), Dax McCarty (Chicago Fire; 7/0), Chris Pontius (Philadelphia Union; 2/0), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC; 0/0), Kelyn Rowe (New England Revolution; 1/0), Gyasi Zardes (LA Galaxy; 32/6)

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution; 23/3), Dom Dwyer (Sporting Kansas City; 1/1), Jordan Morris (Seattle Sounders FC; 16/2)

Ranque das ligas

1.Major League Soccer; 16
2.Liga MX: 4
3.Premier League e EFL Championship 1

Notas:
Bruce Arena está invicto na seleção americana desde que assumiu a seleção americana em novembro de 2016 com um recorde de quatro vitórias e quatro empates.

Kenny Saief foi cortado por lesão, Chris Pontius foi convocado para substitui-lo.


Curiosidades:

Estados Unidos derrotou Panamá na final da Gold Cup de 2005.

Estados Unidos e Panamá se enfrentaram pela primeira vez na Gold Cup de 1993, os americanos venceram por 2a1.

A maior vitória dos Estados Unidos contra Panamá aconteceu em 2004 pelas eliminatórias para Copa do Mundo de 2006, os americanos venceram os panamenhos por 6a0.

Eric Wynalda marcou o primeiro gol pelo Estados Unidos no confronto contra Panamá.

Bruce Arena é o único treinador com dois títulos (2002 e 2005) na Gold Cup na Era moderna na competição.

Panamá derrotou os Estados Unidos nos pênaltis na edição de 2015.

Estados Unidos tem um recorde de 30 vitórias, 1 derrota e 3 empates em todas edições na fase de grupos da Gold Cup. A única derrota foi contra Panamá na edição de 2011.

domingo, 2 de julho de 2017

Estados Unidos 2x1 Gana (Amistoso)


         
Estados Unidos derrotaram Gana por 2-1 no amistoso disputado neste sábado dia 30 de junho de 2017. Seleção Yankee abriu o placar aos 19 minutos do primeiro tempo com o estreante Dom Dwyer que aproveitou a jogada de Joe Corona e Jorge Villafaña. Gana teve a chance de empatar o jogo no final do primeiro tempo num pênalti cometido por Jorge Villafaña mas Brad Guzan defendeu a cobrança batida por Asamoah Gyan. Aos 52 minutos do segundo tempo Kellyn Acosta marcou um bonito gol de falta abrindo uma vantagem de dois gols sobre  seleção ganesa. Gana descontou num golaço de falta marcado por Asamoah Gyan aos 60 minutos do segundo tempo.

Análise 

U.S. Team fez um jogo seguro conquistando uma vitória sólida numa boa performance da equipe americana que trabalhou bem com a posse de bola trocando passes e criando boas jogadas. Na parte defensiva a seleção americana também foi bem, Matt Besler e Matt Hedges provaram ser uma boa dupla de zaga. A marcação dos Estados Unidos no campo do adversário surtiu muito efeito anulando a saída de bola da seleção ganesa.

Notas:

Brad Guzan: Fez uma grande partida e defendeu  um pênalti. Não teve culpa no gol (8,5).

Graham Zusi: Apoio bem pelo lado direito ajudando na criação de jogadas mas falho na cobertura devido ao cansaço. (7,0).

Matt Besler: Foi muito seguro e fez cortes importantes (8,5).

Matt Hedges: Foi muito bem na marcação (8,5).

Jorge Villafaña: Esteve envolvido no lance do gol mas fez um pênalti e faltas desnecessárias (6,5).

Kelyn Rowe: Fez um bom jogo (7,0).

Kellyn Acosta: Fez um gol com muita classe e participou bastante no meio campo (9,0).

 Dax McCarty: Marcou bem pelo meio (7,0).

Paul Ariolla: Ajudou na criação de jogadas (7,5).

Joe Carona: Foi um dos principais armadores da seleção americana, sofreu muitas faltas também (8,0).

Dom Dwyer: Marcou na sua estreia, jogou bem (8,5).

Gyasi Zardes: Não foi criativo, esteve ausente no jogo (5,5).

Kenny Saief: Teve poucas chances de fazer algo na partida mas entrou motivado (6,5).

Alejandro Bedoya: Entrou para manter a posse de bola no meio-campo (6,5).

Jordan Morris: Entrou com vontade, quase marcou um gol (7,0).

Omar González: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Montou bem sua equipe que fez um bom jogo (8,0).

Gana: Foi vencida pela marcação americana, ensaiou algo com a velocidade de seus jogadores. Asamoah Gyan foi o jogador mais lúcido.

Arbitragem: Acertou todos os lance num jogo com muitas faltas técnicas.

Curiosidades: 

Dom Dwyer marcou um gol na sua estreia internacional.

Kelyn Rowe fez a sua estreia internacional.

Kellyn Acosta marcou o seu primeiro gol pela seleção americana.

Confrontos: EUA 1-2 Gana (Copa do Mundo 2006), Gana 2-1 EUA (Copa do Mundo de 2010), EUA 2-1 Gana (Copa do Mundo de 2014) e EUA 2-1 Gana (amistoso 2017).

Bruce Arena está invicto na seleção americana desde que assumiu a seleção americana em novembro de 2016 com um recorde de quatro vitórias e quatro empates.


Nota: Foi feito um minuto de silêncio em homenagem a Tony DiCiccio ex treinador campeão da Copa do Mundo de futebol feminino de 1999 e medalhista de ouro em 1996 pela seleção feminina de futebol dos Estados Unidos que faleceu no dia 19 de junho de 2017.


Links:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-01-us-mens-national-team-vs-ghana/details/video/109112

terça-feira, 27 de junho de 2017

Estados Unidos x Gana (amistoso)



Estados Unidos enfrenta Gana em partida amistosa neste sábado no dia 1 de julho para se preparar para Gold Cup de 2017 que terá o seu início no dia 7 de julho, o jogo será realizado no Pratt & Whitney Stadium at Rentschler Field. Gana é o algoz dos Estados Unidos no futebol internacional ambas as equipes protagonizaram duelos notáveis como na Copa do Mundo de 2006 e 2010 ambos com vitórias ganesas e na Copa do Mundo de 2014 com vitória americana.

O treinador da seleção americana Bruce Arena montou uma equipe mista para o amistoso contra Gana que será a mesma que ira disputar a Gold Cup de 2017. Estados Unidos tem algumas novidades nesta convocação como o atacante do inglês naturalizado americano Dom Dwyer, Cristian Roldan que é destaque do Seattle Sounders, Kelyn Rowe que é um jovem com muito potencial e Kenny Saief (K.A.A. Gent, Jupiler Pro League) que nasceu nos Estados Unidos mas jogou dois jogos por Israel e recentemente optou por jogar pela seleção dos Estados Unidos.


Convocados:

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Bill Hamid (D.C. United), Sean Johnson (New York City FC).

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest), Matt Miazga (Chelsea), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-Campistas (9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Joe Corona (Club Tijuana), Dax McCarty (Chicago Fire), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC), Kelyn Rowe (New England Revolution), Kenny Saief), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution), Dom Dwyer (Sporting Kansas City), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).

Curiosidades : 

Kenny Saief foi o segundo jogador americano que jogou na seleção de Israel.

Landon Donovan foi o primeiro americano a marcar um gol em Gana.

Estados Unidos e Gana se enfrentaram pela primeira vez em 1983 pela Presidents Cup, seleção ganesa venceu por 5-0.

Os dezesseis jogadores convocados da Major League Soccer estão representando onze times da liga.

Cristian Roldan é elegível para jogar na seleção da Guatemala e de El Salvador.

Ranque das ligas

1.Major League Soccer; 16
2.Liga MX: 4
3.Premier League, EFL Championship e Jupiler Pro League: 1

terça-feira, 20 de junho de 2017

Christian Pulisic, O Novo Capitão América


Desde aposentadoria prematura de Landon Donovan graças ao controverso treinador Jurgen Klinsmann a seleção americana passou por muitas dificuldades com resultados inconsistentes, fracas exibições na Gold Cup de 2015 e nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018. Apesar dos Estados Unidos terem bons jogadores a sua disposição nenhum conseguiu ter o mesmo protagonismo que Landon Donovan que foi o jogador mais criativo, decisivo e o líder da seleção americana por mais de uma década.

Nesse período surgiu uma réstia de esperança para o U.S. Team, Christian Pulisic um jovem jogador do Borussia Dortmund que disputa a Bundesliga. Muitos jogadores americanos se destacaram na principal liga da Alemanha e não foi diferente com Christian Pulisic que teve sucesso imediato se tornando o estrangeiro mais jovem a marcar dois gols na primeira divisão alemã e sendo um dos principais jogadores do Borussia Dortmund.

A questão que surgiu era quando lançar o jovem promissor na seleção, se ele era muito novo para jogar na seleção principal e qual seria a melhor maneira de preservá-lo para não repetir erros do passado. Todas essas dúvidas foram respondias nas primeiras exibições de Christian Pulisic que quebrou recordes se tornando o jogador mais jovem a marcar um gol pelo Estados Unidos na Era moderna.

O jovem fenômeno mostrou todo seu potencial a cada jogo pela seleção americana impressionando torcedores e jornalistas por sua técnica e versatilidade. Consequentemente as comparações com Landon Donovan foram feitas. Donovan assim como Pulisic surgiu muito jovem no futebol internacional se destacando na Copa do Mundo Sub-17 de 1999 e em 2000 na seleção principal estreou marcando um gol contra o México num amistoso provando que ele era um jogador diferenciado.

Ainda é cedo para dizer qual é até onde que Christian Pulisic pode chegar mas ele é tudo o que a seleção americana precisa, ele é o único jogador que tem o mesmo status ou se preferir da mesma pratilheira que Landon Donovan, ambos tem um estilo de jogo parecido com muita velocidade, técnica, versatilidade e objetividade ou seja, Christian Pulisic tem tudo para ser o novo Capitão América da seleção yankee.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Estados Unidos 1x1 México (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Com gol magistral de Michael Braldey Estados Unidos empata com México no temido Estádio Azteca. O jogo começou disputado, México teve a maior posse de bola durante todo o jogo mas mesmo com o domínio a partida era muito equilibrada. A seleção yankee abriu o placar num erro de saída de bola dos mexicanos aos 6 minutos do primeiro tempo, Michael Bradley com muita categoria encobrindo o goleiro Ochoa, México empatou aos 23 minutos com Carlos Vela.

México continua liderando o Hexagonal Final da CONCACAF com 14 pontos em seis jogos com quatro vitórias e dois empates. Os Estados Unidos estão em terceiro lugar com duas vitórias, três empates e duas derrotas com 8 pontos mas com um jogo amais que Costa Rica que está em segundo lugar com 8 pontos e Panamá que está em terceiro com 6 pontos. Próximo adversário dos Estados Unidos no Hexagonal Final é a Costa Rica, jogo em casa no dia 1 de setembro.

Análise

Estados Unidos fez um jogo excelente com destaque na ótima performance da defesa que marcou e se posicionou muito bem impedindo os ataques da seleção mexicana. A seleção americana também foi muito organizada e chegou com perigo ao ataque mesmo com a boa marcação dos mexicanos. Bruce Arena faz um trabalho muito bom no seu retorno ao U.S. Team, ele consertou todas falhas do ex treinador Jurgen Klinsmann.


Notas 

Brad Guzan : Não teve culpa no gol (6,5).

Omar González : Fez um jogo muito seguro (8,0).

Geoff Cameron : Foi muito bem na marcação (10,0).

Tim Ream : Fez um bom jogo na defesa (8,0).

DeAndre Yedlin: Apoio bem e defendeu pelo seu lado (7,5)

DaMarcus Beasley : Foi esforçado (7,0)

Michael Bradley : Organizou bem o meio-campo e fez um golaço (10,0)

Kellyn Acosta : Foi bem na marcação pelo meio (7,0).

Christian Pulisic : Mesmo muito marcado conseguiu mostra sua habilidade (7,0)

Bobby Wood : Teve dificuldades no ataque (6,5).

Paul Arriola : Fez um bom jogo, ajudou na marcação (7,0).

Darlington Nagbe : Apareceu pouco (6,5)

Jozy Altidore : Entrou no fim, pouco fez (6,0).

Graham Zusi : Entrou no fim, sem nota.

Bruce Arena : Fez uma boa formação, sua equipe fez um bom jogo (8,0).

México : Foi vencido pela boa marcação americana.

Arbitragem : Acompanhou todos os lances de perto, foi bem.

Curiosidades :

Michael Bradley é o sétimo americano a marcar um gol contra o México no Estádio Azteca, outros foram : Willy Roy, Rick Davis, Eddie Lewis, Charlie Davies e Michael Orozco Fiscal.

Michael Bradley marcou o seu quinto gol contra o México se tornando o segundo jogador americano com mais gols no confronto : 1.Landon Donovan 6 gols, Michael Braldey 5 gols e Aldo Donelli 4 gols.

Estados Unidos está invicto no Estádio Azteca a três jogos.

Willy Roy foi o primeiro jogador a marcar um gol no México no Estádio Azteca em jogos válidos pela eliminatórias.

Aldo Donelli marcou quatro gols pelo Estados Unidos contra o México em 1934, ele é o jogador americano que fez mais gols pela seleção americana em um jogo contra a seleção mexicana.

Link relacionado :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/06/estados-unidos-vs-mexico-eliminatorias.html

sábado, 10 de junho de 2017

Estados Unidos vs México (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos enfrenta o México no dia 11 de julho no Estadio Azteca, Mexico City pela sexta rodada do Hexagonal Final da CONCACAF pela eliminatórias para Copa do Mundo da Rússia de 2018. A seleção yankee e a seleção mexicana protagonizam uma das maiores rivalidades do futebol internacional, as duas equipes já se enfrentaram 69 vezes, os americanos tem um recorde de 19 vitórias, 13 empates e 37 derrotas. Desde 2000 o retrospecto melhorou para U.S. Team que tem um recorde de 13 vitórias, 5 empates e 7 derrotas. O emblemático Estadio Azteca é um dos cenários mais complicados para a os Estados Unidos que tem um recorde de 1 vitória, 8 derrotas e 2 empates no lendário estádio, México tem uma impressionante performance com 42 vitórias, 2 derrotas e 7 empates. Altitude, calor e atmosférica são os fatores que tornam a Azteca um dos mais estádios mais difíceis de se jogar no mundo.

México lidera o Hexagonal Final da CONCACAF com treze pontos com quatro vitórias e um empate enquanto os Estados Unidos ocupam a terceira posição com duas vitórias, um empate e duas derrotas. A seleção americana precisa conquistar pelo menos um empate contra o México para ficar numa posição segura no Hexagonal Final.

Análise da Convocação

Christian Pulisic a cada jogo mostra todo o seu potencial, ele lembra muito Landon Donovan que era o jogador mais criativo e objetivo dos Estados Unidos, a jovem promessa do Borussia Dortmund tem esse status que é tudo o que a seleção americana precisa. Os Estados Unidos tem um meio campo sólido que pode ser formado com Michael Bradley, Christian Pulisic, Fabian Johnson e Darlington Nagbe . A defesa é muito segura com Tim Howard no gol, Jorge Villafaña e DeAndre Yedlin na lateral e a dupla de zaga com Geoff Cameron e John Brooks. No ataque o time precisa de velocidade, Bobby Wood pode jogar como segundo atacante e Jozy Altidore como atacante.

Convocados

Goleiros (4): Brad Guzan (Atlanta United FC), Ethan Horvath (Club Brugge), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defesas (11): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), John Brooks (Hertha Berlin), Geoff Cameron (Stoke City),Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), DeAndre Yedlin (Newcastle United), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund)

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Bobby Wood (Hamburg/GER)


Curiosidades

Estados Unidos venceu México jogando no Estádio Azteca uma vez numa partida amistosa em 2012, Michael Orozco Fiscal foi o autor do gol.

Landon Donovan é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com seis gols.

Aldo Donelli marcou quatro gols pelo Estados Unidos contra o México em 1934, ele é o jogador americano que fez mais gols pela seleção americana em um jogo contra a seleção mexicana.

Willy Roy foi o primeiro jogador a marcar um gol no México no Estádio Azteca em jogos válidos pela eliminatórias.

Cinco jogadores marcaram um gol no México no Estádio Azteca, são eles : Willy Roy, Rick Davis, Eddie Lewis, Charlie Davies e Michael Orozco Fiscal.

Os Estados Unidos conquistou o seu primeiro ponto em eliminatórias para Copa do Mundo em 1997 quando empatou com México por 0a0.